Adicionar à minha lista

Waffle puro chocolate

Ana Bacellar

Numa tarde gelada, daquelas em que a gente dá tudo e mais um pouco por uma mordida quentinha de chocolate, recebi um convite irresistível da agência que cuida dos chocolates da Callebaut: desenvolver uma receita pra participar da semana Callebaut de chocolate.

Durante a tal semana, uns 10 restaurantes e confeitarias de São Paulo preparariam a sua receita especial. Aceitei na hora. Como o Lá da Venda é um armazém que mistura café e restaurante, eu não queria nada que tivesse cara só de sobremesa ou só de lanche, preferia ter algo doce que caísse bem a qualquer hora. Também queria que o meu doce fosse escandalosamente bom, tipo chocolate na veia, tentação pura.

Pensei bastante, mexi nas minhas receitas, livros e revistas e percebi que são poucas as versões de waffle realmente de chocolate e que os poucos que encontrei tinham cor de chocolate e nada de gosto de chocolate, quer dizer, um bom desafio pela frente.

Decidi pelo waffle, aí pesquisei, experimentei, mesclei e adaptei receitas e dicas até chegar ao meu waffle puro chocolate, com muito gosto de chocolate na massa, tanto pelo chocolate em pó, como pelos pedacinhos que derretem e… Sem palavras…

Quanto aos chocolates: eu usei cacau em pó, que não é adoçado, e um chocolate mais amargo (66%), mas também fica bom com chocolate em pó comum e um meio amargo também comum.

Não espere um waffle daqueles ultra crocantes por fora, pois com tanto chocolate, iogurte pra dar consistência e equilibrar sabor e acidez, e com as claras em neve, ele é do tipo mais macio e fofo.

Como achei que um waffle desses imploraria por muita calda de chocolate e umas colheradas gulosas de creme de leite batido em chantilly ou uma bola de sorvete de baunilha, nata, doce de leite ou mesmo de chocolate, decidi deixar a massa com o mínimo possível de açúcar, apenas o suficiente pra ser doce e não salgado. Assim, ao menos a culpa da gula diminui um pouco e dá pra comer um waffle inteiro.

Ingredientes

  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo (240 g)
  • ½ xícara (chá) de cacau em pó (50 g)
  • ¼ de xícara (chá) de açúcar mascavo (40 g)
  • ¾ de colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (chá) de sal
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 3 ovos
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 2 e 1/3 de xícara (chá) de iogurte natural (normalmente 3 copinhos de 170 g cada)
  • cada) 1/3 de xícara (chá) de azeite de oliva (80 ml)
  • 170 g de chocolate meio amargo grosseiramente picado
  • Óleo vegetal pra pincelar

Preparo

Numa tigela grande, misture a farinha, o chocolate em pó, o açúcar mascavo, o bicarbonato, o sal e o fermento, reserve.

Bata as claras em neve até que estejam em picos firmes, reserve.

Misture as gemas, a baunilha, o iogurte e o azeite à massa, depois junte o chocolate picado.

Com delicadeza, incorpore as claras à massa.

Aqueça a máquina para waffle na posição crocante por fora e por dentro (mesmo assim, ele ficará macio por dentro), ou separe uma frigideira tipo tostex para waffle.

Pincele as grades com um pouco de óleo e preencha as cavidades com aproximadamente 1 xícara de massa (a quantidade certa dependerá do tamanho das cavidades, com muita massa vai transbordar e com pouca massa o waffle fica baixo e seco).

Transfira os waffles já crescidos, firmes e dourados pra um prato e prepare os demais (se a grade for antiaderente, é possível que não seja preciso pincelar com óleo depois da primeira rodada).

Sirva o waffle com calda de chocolate rapidinha, colheradas fartas de creme de leite batido em chantilly ou bola de sorvete de baunilha, nata, doce de leite ou chocolate.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *