Adicionar à minha lista

Verdadeira torta americana de maçãs

Ana Bacellar Verdadeora torta americana de maçãs

A verdadeira torta americana de maçãs é a clássica american apple pie, aquela com jeito de torta de Branca de Neve e de vovó Donalda, exageradamente arredondada, perfumadíssima e deliciosa.

Pra conseguir uma torta com a massa crocante e o recheio saboroso, há alguns segredinhos que a gente foi atrás de decifrar e que fazem toda diferença.

Antes de mais nada, o grande pulo do gato pra conseguir uma torta inesquecível é ter um recheio com mmmmmuuuuuiiiiiitttttaaas maçãs, isso mesmo. Há maçãs pra todos os gostos e finalidades, umas bem doces, outras nem tanto, umas bem ácidas, umas muito suculentas e outras mais secas, umas que mantém a forma depois do cozimento e outras que se desmancham.

Portanto, o ideal é usar não só um tipo de maçã, mas sim uma mistura de pelo menos 3 tipos e chegar a um recheio doce, com toques de acidez, pedaçudo e suculento, mas com um purê ligando tudo. Como achar maçãs diferentes é tarefa simples, eu costumo misturas de Gala, Fuji, Granny Smith, Red Delicious e Pink. Umas três de cada. Parece muita fruta, mas ela murcha muito e se não for bastante, a torta fica vazia e quanto mais recheada melhor a torta.

Testei e retestei e é fato, não dá pra comparar as tortas recheadas com maçãs cruas. Elas soltam líquido e encharcam a massa, com aquelas que levam as frutas já cozidas. As maçãs cozidas ficam com sabor e aroma mais concentrado. Por terem secado durante o cozimento, não têm mais líquido pra soltar. Deste modo, não encharcam a massa, que fica sequinha e crocante.

Além disso, tem a massa, que precisa envolver as maçãs e ficar bem crocante, dando um contraste maravilhoso. A massa clássica americana não leva açúcar, mas se achar que fica estranho ter uma massa totalmente neutra, acrescente 1 ou 2 colheres (sopa) de açúcar, e é preparada só com gordura hidrogenada ou com metade gordura hidrogenada, metade manteiga.

De acordo com seus defensores, a gordura hidrogenada deixa a massa leve e crocante, mas eu fico com a manteiga, que é muito mais saborosa. Pra deixar a massa bem crocante, vale a dica de acrescentar 1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco à massa.

Muita gente assa e serve a torta num refratário redondo de bordas inclinadas e, afasta o fantasma “e se a torta quebrar…”. De fato, saindo do forno, a operação retirada da fôrma pra transferir pra um prato é meio perigosa, mas quando a torta esfria ela firme e dá pra fazer a passagem com facilidade, tanto que nem é preciso usar fôrma de fundo removível. Basta usar uma assadeira baixa e de bordas inclinadas pra conseguir passar a torta pro prato sem quebrar.

Em contrapartida, quanto ao dourado, essas tortas de maçãs tradicionais não costumam levar gema pra brilhar, basta pincelar com leite e polvilhar com açúcar. E não precisa ser açúcar cristal, pode ser o comum.

Da mesma forma, o repouso depois de assar é muitos importante! A torta precisa de tempo pra apurar os sabores e as texturas, vale esperar. Se quiser, aqueça a torta por uns 10min no forno já pré-aquecido a 180ºC (médio) antes de servir.

Como sempre, sorvete de baunilha ou de nata, creme de leite em chantilly e iogurte cremoso deixam a torta ainda melhor.

Enfim… O perfume da verdadeira torta americana de maçãs no forno é sensacional, realmente tentador!

Ingredientes

Massa

  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo (aproximadamente 360 g)
  • 200 g de manteiga gelada em cubinhos (ou metade manteiga e metade gordura hidrogenada)
  • 1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco
  • 4 colheres (sopa) de água gelada (aproximadamente 75 ml)
  • Sal
  • Leite pra pincelar
  • Açúcar pra polvilhar

Recheio

  • 12 maçãs diferentes (por exemplo, 3 Gala, 3 Red Delicious, 3 Fuji, 3 Granny Smith)
  • Suco de 1 limão
  • ½ xícara (chá) de açúcar comum (75 g)
  • ½ xícara (chá) de açúcar mascavo (120 g)
  • 1/2 colher (chá) de canela em pó
  • 1/3 de colher (chá) de noz-moscada
  • 1 colher (sopa) de essência de baunilha
  • 2 colheres (sopa) de maisena (30 g)
  • 50 g de manteiga gelada em cubinhos
  • Sal

Preparo

Recheio – Descasque e corte as maçãs em fatias bem finas, coloque numa panela com o suco do limão, o açúcar comum e o mascavo e aqueça. Cozinhe as maçãs em fogo alto por uns 30min, até que estejam macias e o caldinho tenha secado. Junte a canela, a noz-moscada, a baunilha, uma pitada de sal e a maisena, misture bem, retire do fogo e, pra esfriar mais rápido, coloque sobre uma tigela de água com gelo.

Massa – Enquanto isso, misture numa tigela a farinha, duas pitadas de sal, a manteiga (ou metade manteiga ou metade gordura hidrogenada) e esfarele com a ponta dos dedos até obter uma farofa. Junte o vinagre, 4 colheres (sopa) de água aos poucos e trabalhe até conseguir uma massa macia que se solte das mãos. Junte um pouquinho mais de água se estiver muito seca, ou de farinha se estiver pegajosa. Divida a massa em duas partes iguais, envolva em filme plástico e leve à geladeira por 30min.

Separe um refratário ou fôrma redonda de fundo removível de uns 22 cm de diâmetro.

Sobre uma superfície polvilhada com um pouco de farinha, abra as duas partes da massa até conseguir 2 discos de uns 30 cm. Forre a base e as laterais do refratário com um disco de massa, espalhe as maçãs na cavidade fazendo um monte bem alto (pode parecer exagerado, mas não é, pois a maçã sempre diminui mais um tanto no forno e depois de esfriar).

Tendo o cuidado de não deixar espaços vazios entre a massa e o recheio, espalhe por cima os cubinhos de manteiga e cubra com o outro disco de massa. Pressione as bordas com os dedos para colar e, com a ponta de uma faca afiada, faça alguns cortes na cobertura de massa para saída do vapor.

Pincele a superfície com leite, polvilhe um pouco de açúcar e leve a torta à geladeira por uns 10min, enquanto o forno aquece a 200ºC (alto).

Leve a torta ao forno, espere 5min, diminua a temperatura pra 180ºC (média) e mantenha no forno por mais uns 45min, até que o perfume das maçãs invada a cozinha e a massa esteja bem dourada e crocante (se, na metade do tempo, você perceber que a massa está dourando rápido demais, cubra com papel-alumínio e termine de assá-la coberta).

Retire a torta do forno, deixe descansar por umas 2h e sirva com creme de leite batido em chantilly ou sorvete (com esse descanso, a torta ficará não só mais saborosa, como também mais fácil de cortar; se quiser, prepare com até 2 dias de antecedência, guarde na geladeira e aqueça no forno na hora de servir).

15 Comentários

  1. 1
    • 2

      Sonia, boa tarde!
      Gostoso demais saber que você está aproveitando tanto as nossas histórias, dicas, receitas e histórias.
      Continue nos acompanhando, pois novidades não faltam.
      Abraços, Ana e Helô

  2. 3
  3. 4

    Que delícia de torta Helô! Li o que vc escreveu sobre a gordura hidrogenada. Posso fazer a receita usando 200 gramas de manteiga no lugar da gordura hidrogenada? Obrigada. Eu adoro suas receitas

    • 5

      Débora, bom dia!
      Que delícia saber que você está gostando das nossas histórias, dicas, receitas e fotos apetitosas.
      Pode sim fazer com 200 g de manteiga.
      Conte sempre com a gente.
      Abraços, Ana e Helô

  4. 6
    • 7

      Marilena, boa tarde!
      Bom demais saber que você está gostando das nossas histórias, dicas, receitas e fotos apetitosas.
      Conte depois como ficou.
      Abraços, Ana e Helô

    • 8

      Eu colocaria banha de porco no lugar da gordura hidrogenada. Acho que esse ingrediente não tem muita relevância por lá, mas por aqui faço os sequilhos assim, banha e manteiga, saem perfeitos. Vou testar com certeza.

      • 9

        João, boa tarde! Muitas receitas ficam deliciosas com banha de porco, o pão sovado, por exemplo, fica maravilhoso. A massa da torta fica perfeita com a banha. A gordura hidrogenada, que tanto usam nos Estados Unidos, não tem sabor de nada, dá apenas crocância.
        Abraços, Ana e Helô

  5. 10
    • 11

      Ritta, boa tarde!
      Pode sim usar só manteiga, é o que a gente também costuma fazer por aqui. Use 200 g de manteiga.
      Conte sempre com a gente.
      Abraços, Ana e Helô

  6. 12

    Ahhhh estou eu aqui procurando uma receita de Torta maravilhosa pra vender, e me deparo com está generosidade de pessoa dividindo os segredos culinários conosco. Que coisa mais linda!!!! Toda gratidão do mundo a você!!!

    • 13

      Edilene, bom dia!
      Ficamos muito felizes com a sua mensagem. Bom demais saber que a torta passou a fazer parte da sua vida.
      Conte sempre com a gente.
      Abraços, Ana e Helô

  7. 14

    Helô obrigada pelas suas maravilhosas receitas e por compartilhar,além delas, um pouco da suas experiências de vida! Essa receita de torta de maçãs estou fazendo pela segunda vez! Já dá até para sentir o perfume saindo ali da panela. Suas dicas são tão minuciosas que foi a primeira torta que fiz e ficou perfeita de primeira. Dessa vez ousei fazer alterações pode ser que, por isso, deixe de ser uma verdadeira apple pie. Mas foram necessárias para agradar mais à minha família. Reduzi o açúcar pela metade, achamos o recheio doce demais. Não estou usando nada de gordura vegetal hidrogenada, somente a manteiga. Não retirei as cascas das maçãs, fiz isso na primeira e deu certo, mas cortei bem fininho. E acrescentei nozes para dar crocância. Obrigada por tudo. ❤

    • 15

      Fabíola, boa noite!
      Que mensagem gostosa! Muito bom saber que a sua primeira torta ficou perfeita e que a receita já passou a fazer parte da sua cozinha. Quanto às alterações, você também foi ótima. É assim mesmo que tem que ser, ajustar a doçura e os aromas aos gostos da sua casa, escolher ingredientes (caso da manteiga) e dar toques pessoais, como as nozes.
      Só uma dica quanto ao açúcar: experimente sempre um pedacinho da fruta escolhida pra uma receita, pois umas são mais doces, outras menos, nunca são iguais.
      Siga aqui com a gente, pois histórias, dicas, receitas e fotos apetitosas não faltam por aqui.
      Abraços, Ana e Helô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *