Adicionar à minha lista

Tropeirinho mineiro do meu jeito

Ana Bacellar

Feijão tropeiro é Minas total, aquela comida boa e de simplicidade linda. É comida de casa, mas também de restaurantes, dos mais básicos aos ultra requintados, que, mantendo a essência do prato, fazem preparam versões mais contemporâneas e tão delicadas que fazem bonito sempre e em qualquer ocasião.

Assim, pensando num tropeiro verdadeiro, mas com o toque de leveza que se pede hoje, com a praticidade pra mesa de todo dia e, também, pra quando se tem mais gente em casa, até mesmo pro cardápio de uma festa chiquezinha, preparei um do meu jeito.

Troquei as fatias mais gordas de toucinho por umas mais fininhas e carnudas, juntei a couve ao refogado de feijão já com a farinha, usei um mignon suíno assado, que dispensa marinadas mais longas, bem magro e fica pronto em bem menos tempo que o lombo tradicional e é mais delicado que as costelinhas ou bistecas, e, pra facilitar na hora da finalização como na de servir, deixei de lado os ovos fritos e fiz os ovos mexidos. Quando quero deixar a receita ainda mais rica, junto linguiças em rodelas bem dourada e torresmo bem crocante.

Em Minas, o feijão roxinho costuma ser o preferido pro tropeiro, pois é saboroso, mesmo bem cozido ele fica firme o bastante pra não se desmanchar na hora de refogar e juntar a farinha e ainda é lindo. No fim de março, estive em Belo Horizonte e tive o privilégio de passear pelo Mercado com o Caetano Sobrinho, um Chef mineiro nota 10, que no seu restaurante, o Caê, faz uma comida impecável. Durante o passeio, eu lhe disse que queria comprar um quilo do melhor feijão pra um tropeiro, ele me levou até um vendedor de grãos e comprei um pacote de roxinho, que foi pra panela assim que cheguei em casa.

Na falta do roxinho, use o feijão que encontrar, que pode ser carioquinha, rosinha, bolinha ou qualquer outro, só cuide pra retirar a panela do fogo assim que os grãos estiverem macios, mas ainda inteiros, então descarte o caldo do cozimento e prepare a receita. Se, por descuido, o feijão cozinhar demais e começar a se desmanchar, o ideal será deixar o tropeiro pra um outro dia e usar o feijão macio pra refogar normalmente como feijão de todo dia, ou pra fazer um tutu ou virado, que são receitas pastosas, ou mesmo pra uma sopa de feijão ou caldinho.

Pra facilitar a vida e ganhar tempo, eu costumo cozinhar o feijão numa panela de pressão, mas dá tranquilamente pra cozinhar numa panela comum, apenas o tempo muda (na pressão o feijão cozinha em no máximo 1h e na panela o tempo sobe pra mais ou menos umas 2h e 30min). Pra deixar o feijão mais digesto, costumo colocar os grãos crus do feijão na panela de pressão, cubro com água e aqueço, deixo ferver com a panela ainda sem tampa apenas por 1min, escorro e descarto essa água, cubro com água limpa ultrapassando os grãos nuns 5cm, junto a folha de louro, tampo a panela e cozinho por mais ou menos uns 50min depois da panela começar a chiar e, até que os grãos estejam macios, mas inteiros (o cheiro de feijão cozido é totalmente diferente o feijão ainda cru ou mal cozido e, pra saber se está pronto, só abrindo a panela pra testar).

Pra ganhar tempo, costumo cozinhar o feijão com até dois dias de antecedência, ficando só a finalização pra pertinho da hora de servir.

Arroz branco, pimenta em conserva e uma salada de folhas completam a refeição.

Ingredientes

Feijão

  • 2 e ½ xícaras (chá) de feijão roxinho ou carioquinha (500 g cru, ou umas 6 xícaras de feijão já cozido e escorrido)
  • 250 g de toucinho defumado em cubinhos
  • 1 cebola grande em cubinhos (180 g)
  • 2 dentes de alho picadinhos
  • ½ xícara (chá) de farinha de mandioca (50 g)
  • 2 colheres (sopa) de cebolinha picada (uns 2 fios)
  • 1 maço de couve em tirinhas finíssimas
  • Óleo vegetal
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • pimenta vermelha em conserva (tanto pra juntar ao mexido, como pra servir)

Filézinhos

  • 2 files suínos bem limpos (uns 600 g)
  • Suco de 1 limão
  • 1 dente de alho picadinho
  • 1 folha de louro
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • Óleo vegetal

Ovos

  • 4 ovos
  • Sal
  • Óleo vegetal

Preparo

Feijão – Com pelo menos 6 e até com 12h de antecedência, coloque os 2 filés de porco num refratário médio, tempere com sal, pimenta, o suco de limão e regue com um fio de óleo.

Umas 2h antes de servir, cozinhe o feijão com água e uma folha de louro na panela de pressão até que os grãos estejam cozidos, mas ainda e inteiros.

Escorra e descarte o caldo do cozimento, reservando apenas os grãos.

Filézinhos – Enquanto o feijão cozinha, aqueça o forno a 180ºC (médio).

Leve os filézinhos ao forno pra assar por uns 35min, até que estejam macios e dourados por fora, mas ainda úmidos.

Retire do forno, aguarde uns 10min e corte em rodelas de mais ou menos 1cm de espessura, reserve.

Aqueça o toucinho numa frigideira ou numa panela grande e deixe no fogo até dourar.

Junte a cebola e o alho, espere começar a dourar, adicione o feijão, sal, pimenta-do-reino e misture bem. Assim que aquecer, acrescente a farinha, deixe umedecer, acrescente a cebolinha e, se quiser, um pouco de pimenta em conserva picada.

Enquanto isso, aqueça um fio óleo numa outra frigideira, junte a couve, sal, mexa com um garfo, retire do fogo assim que murchar pra que continue bem verde e junte ao feijão.

Aqueça mais um fio de óleo na frigideira da couve, acrescente os ovos levemente batidos com um pouco de sal, espere começar a firmar nas bordas, mexa de leve e mantenha no fogo até começar a firmar, mas ainda com os ovos bem úmidos e brilhantes.

Coloque o mexido de feijão numa travessa e, ao lado, coloque as fatias do filézinho e os ovos.

Sirva imediatamente com pimenta em conserva, arroz branco e uma salada de folhas.

4 Comentários

  1. 1
  2. 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *