Adicionar à minha lista

Torta de bacalhau

Ana Bacellar

Nossa herança portuguesa não nega: gostamos de tortas, empadas e amamos bacalhau, e quando a torta é de bacalhau, a coisa fica ainda mais séria.

A receita também é prática, pois tanto a massa, o recheio, quanto a torta ja é montada pronta pra assar ou já assada, podem ser preparados com antecedência, só faltando aquecer na hora de servir.

Como bacalhau sempre faz bonito, a torta é perfeita pra uma refeição especial ou de festa, mas também dá aquele ar especial e chiquezinho ao almoço ou jantar de todo dia. Se tudo isso é verdade, e eu acho que é, só não entendo porque todo mundo quase que prepara sempre as mesmas receitas de bacalhau e a torta vive esquecida.

Eu, por exemplo, quando resolvo comprar o peixe, acabo levando uma peça inteira, que sempre tem preço bom, o vendedor já limpa, separa os pedaços pelo tamanho e vou pra cozinha pensando em usar o lombo nas receitas de bacalhau de forno ou de frigideira, que pedem postas altas e grandes, as lascas médias em ensopados, molhos, saladas, arrozes, e as miúdas e mais esfiapadas nos bolinhos e recheios. Quer dizer, considerando que o recheio não só pode, como deve ser preparado com os pedaços menores, que são delicioso. Ou seja, o custo da torta é relativamente baixo, mesmo quando se usa um super bacalhau de primeiríssima linha da Noruega.

Usar pedaços miúdos ainda tem a vantagem da rapidez da dessalga, às vezes 8h são suficientes (até umas 24h, dependendo da espessura dos pedaços).

Uma coisa importante: não há mesmo necessidade de aferventar o peixe antes de refogar, as lascas cozinham direto no azeite. Também aproveito sobras de bacalhau assado ou cozido pra preparar recheio de torta, basta que sejam umas 3 xícaras de lascas miúdas ou desfiadas.

Escolhi uma massa preparada com azeite, e não com manteiga. Além do azeite ser totalmente coerente com o recheio, a gente ainda varia, sai da massa básica de manteiga de sempre. Quem não gosta, não pode ou não quer consumir manteiga, tem uma saída. Também dá pra usar água ou caldo de legumes no lugar do leite e ficar com uma receita sem lactose.

Como acontece com qualquer torta, ela pode fazer parte de uma refeição e acompanhar arroz e salada, como valer como prato único, só com uma salada de folhas. Eu adoro e, só em pensar, já fico morrendo de vontade de dar uma garfada.

Ingredientes

Recheio

  • 1 cebola grande em cubinhos (180 g)
  • 1 dente de alho picadinho (5 g)
  • 400 g de bacalhau em lascas, bem limpo, sem pele e sem espinhas, dessalgado por 8 a 24h dependendo ou 3 xícaras de chá de sobras de bacalhau cozido ou assado já desfiado)
  • 4 tomates maduros, sem sementes e em cubinhos (570 kg)
  • 1 folha de louro
  • 1/3 de xícara (chá) de maisena (40 g)
  • 2 xícaras (chá) de leite ou água ou caldo de legumes (480 ml)
  • 1/3 xícara (chá) de azeitona verde ou preta picadinha (40 g)
  • 4 colheres (sopa) de salsinha picadinha (4 ramos)
  • Azeite de oliva
  • Sal
  • Pimenta-do-reino

Massa

  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo (aproximadamente 360 g)
  • ½ colher (sopa) de sal
  • 1/3 de xícara (chá) de azeite de oliva (80 ml)
  • ¾ de xícara (chá) de água morna (aproximadamente 180ml)
  • 1 gema diluída em 2 colheres (sopa) de água pra pincelar

Preparo

Comece pelo recheio, que precisa esfriar. Regue o fundo de uma panela grande com azeite, doure a cebola, então junte o alho, espere perfumar, adicione o bacalhau e mexa até mudar de cor.

Acrescente o tomate, o louro, pimenta, mantenha em fogo baixo por uns 5min, até as lascas de bacalhau mudarem de cor.

Dissolva a maisena no leite, coloque na panela e, sem parar de mexer, deixe no fogo até ferver e engrossar. Acrescente a azeitona, a salsinha, acerte o sal e a pimenta, retire do fogo e passe para uma tigela apoiada sobre uma bacia de água com gelo pra esfriar mais rápido.

Enquanto isso, pra a massa, misture a farinha e o sal numa tigela grande, junte o azeite, esfarele com a ponta dos dedos até obter uma farofa e acrescente água aos pouquinhos, trabalhando até obter uma massa macia e que descole das mãos. Envolva em filme plástico e leve à geladeira por 15min.

Divida a massa em 2 partes (1/3 e 2/3) e com um rolo e sobre uma superfície polvilhada com farinha, abra 2 discos. Com o disco maior, forre o fundo e as laterais de uma fôrma com fundo removível, espalhe o recheio na cavidade, cubra com o disco menor e pressione as bordas para colar.

Decore a superfície com sobras de massa, pincele com a gema diluída numas 2 colheres de sopa de água e leve a torta à geladeira por 15min, enquanto o forno aquece a 180ºC (médio-alto).

Asse a torta por uns 40min, até que a massa esteja bem dourada e crocante. Retire do forno, aguarde 10min, desenforme sobre um prato raso e sirva (se quiser, prepare a torta na véspera e aqueça no forno na hora de servir).

2 Comentários

  1. 1

    Olá, Helô,
    Será que dá para fazer a massa e o recheio e congelá-los separadamente. No dia que for usar, descongelo e monto a torta e coloco no forno?
    Muito obrigada.
    Lourdes (Jardim Botânico, Rio de Janeiro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *