Adicionar à minha lista

Torta cremosa de palmito caseira

Torta de palmito cremosa

Se tem uma coisa que eu adoro é uma boa torta cremosa de palmito caseira! Amo o contraste da massa crocante e do recheio cremoso e acho que é um prato ultra versátil, pois só com uma salada já vira uma refeição. Pode ser num dia totalmente comum, quanto num final de semana como se fosse um lanche, e também pra receber.

A de palmito é a preferida aqui em casa e, quem experimenta costuma se encantar. Eu adoro observar a reação principalmente dos estrangeiros, que não estão acostumados a consumir palmito como a gente, e sempre se surpreendem.

Eu me lembro bem da reação dos franceses quando experimentaram a torta cremosa de palmito caseira durante os quatro meses da consultoria e do treinamento que fiz pra La Grande Épicerie de Paris, na loja de departamentos Le Bon Marché. Eles gostavam demais, e tanto os clientes, que compravam vidros de palmito e tortas prontas pra comer em casa, como as equipes da cozinha, da padaria e da confeitaria, que sempre comiam fatias gulosas e achavam o sabor diferente e delicioso.

Pra rechear uma torta, a medida é exatamente a de um vidro grande de palmito em conserva, que pode ser tanto de palmito pupunha, quanto de açaí e de palmeira real. Os três são ecologicamente corretos e dão recheios muito bons. É claro que, quanto mais macio e saboroso o palmito, melhor será o recheio, mas desde que seja um palmito tenro e gostoso, nada daqueles fibrosos e incortáveis, o recheio ficará bom. Dá tranquilamente pra usar palmito já picado, que tem preço mais acessível e é perfeito pra finalidade, mas é claro que dá pra repicar rodelas maiores e os toletes.

E aí vem a pergunta: pode usar palmito fresco? Pode usar, mas eu, sinceramente, acho que o fresco é ótimo pra refogar e servir, ou pra cozinhar e juntar outros ingredientes e usar como se fosse uma massa, ou como salada, ou grelhado ou assado, que ficam maravilhosos, só que pra rechear torta eu gosto bem mais do palmito em conserva, é outro sabor.

Poucos recheios ficam prontos em tão pouco tempo e com tanta simplicidade. Picar a cebola, a salsinha e, se necessário, o palmito, são as únicas tarefas “longas”. Só aquecer a manteiga, juntar a cebola, quando ela começa a dourar é o momento de acrescentar o alho, esperar perfumar, então adicionar o palmito, mexer só por uns 2min, até envolver tudo e aquecer, juntar o ketchup, que quase todo mundo tem em casa, ou a polpa de tomate (que é mesmo pra dar uma cor e só um sabor leve), acrescentar a maior parte do leite, deixar ferver, misturar a maisena dissolvida no restante do leite e, sem parar de mexer, deixar ferver e engrossar, o que não leva mais de 5min.

Em seguida, só acertar o sal, se quiser acrescentar pimenta, a salsinha e, muitas vezes ajustar a acidez com um tico de açúcar, pois na conserva o palmito pode ficar mais ácido e o açúcar corrige. É importante acreditar que o recheio engrossa e encorpa na panela, mas firma pra valer quando esfria na geladeira, tanto que parece pesado na hora de rechear a torta, mas volta a ser cremoso quando a torta assa.

Como o recheio tem que estar frio antes de ser usado na torta, pois se estiver quente ele derrete a massa, costumo fazer o recheio até na véspera e deixo na geladeira até a hora de usar.

Quando resolvo fazer torta, vira e mexe dobro a receita e faço duas de uma vez, pois quem faz uma faz duas, então congelo uma delas já montada pra assar num dia de pressa ou de preguiça. Às vezes, monto a torta de manhã, deixo na geladeira e coloco pra assar mais ou menos 1h antes de servir. Mas também acontece de deixar a torta já assada, só pra aquecer por uns 30min antes da refeição.

Também dá pra congelar a torta por até 3 meses, tanto crua e já montada e até pincelada com a gema, como a torta já assada, só pra aquecer. Funciona perfeitamente bem simplesmente retirar a torta do freezer e levar ao forno, tanto se estiver ainda crua, como já assada (uma torta congelada vai precisar de uns 10 a 15min a mais de forno).

Costumo assar a torta numa fôrma de fundo removível e desenformar num prato raso antes de servir (sempre espero uns 10min pra massa dar uma firmada e ter menos risco de quebrar, e se quebrar, paciência, ela continuará deliciosa mesmo meio desmontada). Se preferir, monte a torta num refratário e sirva nele mesmo, sem precisar desenformar, só cortar em pedaços na hora de servir.

Eu gosto de torta quentinha, mas em temperatura ambiente ela também fica deliciosa.

E outra coisa: crianças amam brincar com massa e vão adorar “decorar” a torta, tanto usando cortadores de biscoito, como simplesmente fazendo bolinhas ou argolinhas, ou fazendo letras.

No vídeo torta de frango caipira do canal do Youtube do Na Cozinha da Helô você aprenderá como preparar a massa, abrir, rechear e assar, pois só o recheio é diferente.

Com a torta cremosa de palmito caseira e uma salada de folhas regada com um dos nossos molhos de salada já se tem uma refeição.

Torta cremosa de palmito

Ingredientes

Recheio

  • 25 g de manteiga
  • 1 cebola média em cubinhos (150 g)
  • 1 dente de alho picadinho
  • 300 g de palmito picado (um vidro grande)
  • 1 colher (sopa) de ketchup ou molho de tomate
  • 1 xícara (chá) de leite (240 ml)
  • 1½ colher (sopa) de maisena
  • 2 colheres (sopa) salsinha picada (2 ramos)
  • Azeite de oliva
  • Sal

Massa

  • 2 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo (aproximadamente) – (300 g)
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 pitada de fermento químico em pó
  • 200 g de manteiga gelada em cubinhos
  • 1 ovo
  • 1 gema diluída em 2 colheres (sopa) de água pra pincelar

Preparo

Recheio – Aqueça a manteiga e um fio de azeite numa panela média, doure ligeiramente a cebola, junte o alho e espere perfumar.

Adicione o palmito, o ketchup, metade do leite e deixe ferver por 2 a 3min, só mesmo pra dar sabor.

Junte a maisena dissolvida no leite restante e, sempre mexendo, deixe no fogo só até ferver e engrossar (no máximo 5min).

Junte a salsinha, acerte o sal e, se for preciso, ajuste a acidez com pitadas de açúcar.

Retire do fogo, passe pra uma tigela, cubra com filme plástico assim que amornar e leve à gelada por pelo menos 1h pra esfriar (ou faça na véspera). O recheio terá que estar bem frio e firme na hora de montar a torta.

Massa – Misture a farinha, o sal, o fermento e a manteiga numa tigela grande, esfarele com a ponta dos dedos até obter uma farofa.

Junte o ovo e trabalhe com as mãos até conseguir uma massa macia e que descole das mãos (se for preciso, junte um pouquinho de farinha se a massa estiver muito pegajosa, ou 1 colher de sopa de água gelada se estiver muito esfarelenta).

Separe 1/3 da massa para a cobertura e 2/3 para a base, envolva em filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 30min e até por uns 2 dias (a massa precisa descansar tanto pra firmar, principalmente no calor, e dar pra abrir com mais facilidade, como pra ter uma torta mais crocante. Pode até parecer difícil, mas não é.

Separe 1 fôrma de fundo removível e com uns 25 cm de diâmetro (ou um refratário se não quiser desenformar).

Montagem – Polvilhe uma superfície com farinha e, com um rolo, abra a parte maior de massa até conseguir um disco de uns 40cm de diâmetro. Forre o fundo e as laterais da fôrma com esse disco e espalhe o recheio na cavidade. Abra a parte menor de massa até conseguir um disco do tamanho da fôrma e cubra a torta, pressionando as bordas para fechar e sem se importar com trincas e remendos. Decore com sobras de massa, pincele com a gema e leve à geladeira por uns 15min, enquanto o forno aquece a 180ºC (médio-alto).

Asse por uns 45min, até que a massa esteja bem dourada nas bordas e na superfície (não retire a torta do forno antes, a massa fica pronta só quando a torta doura pra valer; quem acha que a torta está pronta assim que a massa começa a dourar nas laterais, mas com a superfície ainda branquela, fica com uma torta de massa crua por baixo).

Retire do forno, aguarde 10min e desenforme sobre o prato de servir (ou deixe a torta pronta na geladeira e aqueça no forno na hora de servir, ou congele já assada por até 3 meses e simplesmente aqueça no forno por uns 30min).

Sirva com uma salada de folhas regada com um dos nossos molhos de salada.

2 Comentários

  1. 1
    • 2

      Vaniza, boa tarde!
      Bom demais saber que você gostou tanto da receita e ela já passou a fazer parte da sua cozinha.
      Foi sim no curso de tortas da EDUK.
      Siga acompanhando o Na Cozinha da Helô, pois histórias, dicas, receitas e fotos apetitosas não faltam por aqui.
      Abraços, Ana e Helô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *