Adicionar à minha lista

Saladinha rápida de pepino, iogurte e hortelã

saladinha rápida de pepino, iogurte e hortelã

Amo, amo e amo essa saladinha simples, refrescante, que fica pronta num piscar de olhos e, como eu gosto de falar, é “só de misturar”. É incrível pensar na quantidade de sensações que vêm numa única garfada de uma receita que só uma mistura de pepino, iogurte, hortelã, azeite e sal, mas que mistura boa! Pepino e hortelã são naturalmente refrescante e têm doçura, o iogurte e o azeite dão cremosidade e acidez, o sal dá vida e, pra completar, os contrastes de textura entre o miolo do pepino com as sementes e a casca firme, crocante e suculenta ao mesmo tempo.

A salada vai bem com legumes (com tomate e berinjela é o máximo), carnes assados ou de frigideira (pode ser boi, porco, cordeiro, ave, peixe), com arroz branco ou integral e muito mais. Pode até parecer bastante pensar em 2 pepinos (do japonês) ou 1 maior (do caipira) pra uma salada meio que acompanhamento, mas pepino é água, puro volume.

E qual o tipo de pepino que cabe na receita? Eu uso o pepino que tenho em casa ou o que encontro com jeito mais fresco, bonito e com preço bom, gosto de todos e cada um é um, dando resultados bem diferentes. Cresci comendo pepino caipira da horta da fazenda. Tinha pepino caipira de casca fina ou grossa (mesmo quando ainda novinhos), tinha pepino de casca verde suave, de verde vivo e de verde escuríssimo, tinha pepino com muito miolo e muita semente, tinha pepino mais reto e também uns que davam umas encurvadas, e os tamanhos também variavam, de uns dez a uns vinte e poucos centímetros. Depois vieram os pepinos japoneses, mais finos e longos, com menos miolo, casca firme e bem crocante, e eles fizeram um sucesso imenso.

Eu gosto do sabor concentrado da casca do pepino e da textura mais firme que ela tem, mas isso vale pros pepinos frescos, de casca brilhante, lisa e nada murchos. Quando perdem o frescor, mudam o sabor (vários amargam) e a textura (as cascas engrossam e deixam de ser agradáveis). Um truque simples pra dar uma reanimada naquele pedaço de pepino que aparece na gaveta da geladeira é colocar de molho em água gelada por uns 15 minutos, então escorrer e usar, pelo menos dá pra aproveitar.

Estimei o tempo de preparo nuns 15 minutos, pois dá pra fazer tudo mesmo nesse tempo. Eu separo a tábua e a faca, lavo o pepino, corto em rodelas ou meia rodelas ou quartos ou cubinhos, e, em seguida, na própria tigela de servir, misturo o iogurte com sal até dissolver, junto o azeite, depois o pepino, mexo até envolver tudo, acerto o sal, limpo a borda da tigela com um pedacinho de papel toalha e salada pronta. Gosto de servir em seguida, pois a textura é sempre melhor, mas às vezes preparo com até 6 horas de antecedência, guardo na geladeira e deixo só pra juntar as folhas picadas de hortelã na hora de levar à mesa, pois elas escurecem depois de um tempo.

Quanto mais cremoso o iogurte, melhor o molhinho, mas dá tranquilamente pra preparar a receita com iogurte sem lactose, desnatado e mesmo com tofu (basta uma ajuda do mixer pra conseguir a cremosidade).

Ingredientes

  • 2 pepinos médios e finos, com casca, bem lavados e secos (300 g)
  • 1/3 de xícara (chá) de iogurte natural (75 g, pode ser desnatado ou sem lactose)
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva, aproximadamente
  • 8 folhas de hortelã picadinhas e mais algumas folhinhas para decorar sal

Preparo

Corte os pepinos no formato que preferir (rodelas, meia rodela, quartos, cubinhos), reserve.

Numa tigela média, que pode ser a mesma em que a salada irá à mesa, misture o iogurte e umas 3 pitadas de sal até dissolver. Junte o azeite, mexa mais um pouco, depois acrescente o pepino e as folhas picadinhas de hortelã e misture pra envolver tudo com o molho. Acerte o sal e sirva.

Se quiser, prepare com até 6 horas de antecedência e guarde na geladeira, mas só junte as folhas picadas de hortelã na hora de servir, pois elas escurecem depois de um tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *