Adicionar à minha lista

Receita de picadinho de carne oriental

picadinha-de-carne-oriental

Um picadinho gostoso, colorido, cheio de contraste de sabores e aromas. A receita de picadinho de carne oriental pode até parece difícil, mas não é, muito pelo contrário, dá cara de especial a qualquer refeição e, com certeza, vai virar sucesso. Usei tirinhas miúdas de file-mignon porque tinha comprado um pedaço maior, tirei uns bifes num dia e piquei as pontas, mas já fiz com contrafilé, alcatra, coxão mole, fraldinha, peito de frango e sobrecoxa desossada. O que importa num picadinho é usar pedaços totalmente limpos, sem peles, gorduras e nervos.

Pra ficar saboroso, é importante deixar a carne marinando por umas 6 horas, e isso é muito fácil, dá pra se organizar com antecedência (com só 1 hora a receita fica ok, mas com mais tempo no tempero ela ganha outra dimensão). A marinada – que é o tempero da receita – leva shoyu (vale até aproveitar aqueles sachês que vêm com pedidos de shushi); limão; um pouco de molho de ketchup ou de polpa de tomate comum e, pra completar o agridoce, um tico de mel ou de açúcar (branco ou mascavo). O leite de coco deixa a receita pra lá de especial e o pouco de maisena é o quanto basta pra conseguir aquele molho que a gente come até a última gota.

Também pra temperar, entram na receita cebola, alho e gengibre, que é ingrediente mágico, muda tudo (uma bandeja dura bastante na gaveta da geladeira). Os legumes podem variar bastante, tudo vai depender do que se gosta e do que se tem em casa. No dia da foto, usei pimentão vermelho em tirinhas, mas pode ser amarelo, verde ou cambuci (e se não tiver, ou não gostar de pimentão, basta não usar pimentão). Usei cenoura, que é ingrediente “de sempre” em casa, pois ela dá textura, muita cor e um adocicado delicioso a qualquer prato, e só não coloquei abobrinha ralada grossinha ou em rodelas finas, ou cubinhos de abóbora japonesa porque não tinha.

Como, em casa, todos adoram cogumelos e havia uma bandeja de shimeji na geladeira, ele foi o “escolhido”, mas pode também ser o que quiser ou puder, até daqueles em conserva (só descartar o líquido). Pra dar frescor, sabor, muito aroma, nada com um punhado de ervas. A gente ama coentro e cebolinha, mas também dá pra usar salsinha e hortelã.

O mesmo acontece com a pimenta, que realça tudo que vai na receita, dá um picante incrível e um colorido que é o máximo. Acho que pimenta fresca vai melhor aqui, mas pode ser em conserva ou até como molhinho. Dedo-de-moça e malagueta, que são fáceis de achar, têm tudo a ver com o prato, mas a biquinho, que dá sabor e é muito delicada, é sempre uma saída (até as crianças acham a biquinho gostosa, sem falar no quanto é linda).
O crocante completa a receita e pode ser tanto amendoim torrado, sem pele e salgado (valem até os de pacotinho pra petiscar) ou castanha de caju, qualquer um deles já bem picadinhos.

Acredite que são os contrastes entre salgado, adocicado, crocante e a acidez os responsáveis pelo encanto da receita.

Pro picadinho ficar bom pra valer e lindo, o processo tem que ser rápido e isso só acontece se o fogo for alto e quando se uma frigideira grande e larga, pois panelas altas e apertadas acabam concentrando vapor e os ingredientes não douram bem e cozinham devagar (o que se quer é um refogado muito rápido, ágil mesmo). Na panela tudo acontece num piscar de olhos, o preparo, que envolve separar os ingredientes e picar tudo, é o x da questão, mas é fácil e nada de extraordinário.

Uma tigela de arroz branco e uma salada de folhas completam a refeição.

Ingredientes

  • 500 kg de filé-mignon limpíssimo e em tirinhas finas (ou alcatra, contra-filé, coxão-mole, fraldinha ou peito de frango)
  • 3 colheres (sopa) de shoyu (45 ml)
  • Suco de 1 limão
  • 2 colheres (sopa) de ketchup (20 g)
  • 1 colher (sopa) de mel
  • 1 dente de alho ralado
  • 2 colheres (chá) de gengibre ralado
  • 1 colher (sopa) de maisena
  • 1 cebola média em fatias finas (120 g)
  • ¼ de pimentão vermelho em tirinhas finas
  • 1 cenoura média ralada (120 g)
  • 200 g de cogumelo shimeji (ou Paris, Portobelo, Shiitake em fatias finas)
  • ¼ de xícara (chá) de leite de coco
  • 4 colheres (sopa) de coentro picado (4 ramos)
  • 2 fios de cebolinha picada
  • ¼ de xícara (chá) de amendoim torrado, salgado e sem pele (ou castanha de caju)
  • 1 pimenta dedo-de-moça em rodelinhas finas (ou a gosto)
  • Óleo vegetal
  • Sal

Preparo

Numa tigela média, misture a carne, o shoyu, o suco do limão, o ketchup, o mel, metade do alho, metade do gengibre, a maisena, cubra e deixe repousar na geladeira por umas 6 horas.

Aqueça bem uma frigideira grande e larga em fogo alto e usando a boca mais larga do fogão e junte umas 2 colheres (sopa) de óleo. Mantendo sempre o fogo alto, junte a cebola, o restante do alho e do gengibre, misture e deixe começar a dourar e a perfumar (tudo é muito rápido).

receita-de-picadinho-de-carne-oriental

Sempre em fogo alto, acrescente a carne e deixe dourar bem de todos os lados. Junte então o pimentão e a cenoura, um pouquinho de sal e espere começar a murchar. Acrescente o shimeji e deixe murchar por uns 5 minutos, até que apenas amoleça. Misture o leite de coco e deixe ferver.

Acerte o sal e a pimenta, junte o coentro e a cebolinha, o amendoim, a pimenta e passe pra tigela em que o picadinho irá à mesa. Sirva em seguida com arroz branco e, se quiser, com uma salada de folhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *