Adicionar à minha lista

Patê de fígado de galinha bem cremoso

Ana Bacellar pate-de-figado-de-galinha

Bastante gente torce o nariz quando pensa num prato de fígado de galinha ensopado ou dourado na frigideira, mas gosta de patê de fígado. Por mais esquisito que seja, eu até entendo, já que ensopado ou frito o fígado terá sempre a textura mais mole e o sabor forte que tanto incomodam, mas tudo muda quando ele é refogado na manteiga com cebola e conhaque e se transforma num patê aveludado, rosado e delicado.

Experimentei nem sei quantas receitas, mas rodo, rodo e sempre preparo a que aprendi há mais de trinta anos e passou a ser o “meu patê de fígado bem cremoso”. É a receita que preparo como aperitivo com fatias de pão fresco ou com torradas, principalmente quando recebo bastante gente, pois é fácil de fazer, rende e os ingredientes custam pouco.

Tudo começa com a limpeza do fígado, que deve ficar totalmente limpo de nervinhos, gorduras e dos esbranquiçados e esverdeados que deixam o patê com gosto amargo, sem falar da textura, que não ficará completamente lisa. Mas, o grande pulo do gato está na manteiga, responsável pela cremosidade e pelo sabor do patê de fígado de galinha.

Ela precisa entrar na receita em dois momentos diferentes, pois têm duas funções totalmente diversas: 1/3 da manteiga vai pra frigideira no início do preparo, serve pra dourar a cebola e o fígado e dar sabor, e os 2/3 restantes só amolecem na panela com o conhaque e o fígado refogado com cebola batido no liquidificador, sem jamais derreter pra valer ou fritar, e, com o repouso na geladeira, é essa manteiga cremosa que fará o patê firmar, mas mantendo a cremosidade. Essa segunda ida à panela tem que ser rapidíssima, pois quando cozinha demais ele perde o aveludado e fica esfarelento e acinzentado.

Também é fundamental acreditar que mesmo fazendo tudo certinho durante essa segunda fase na panela, o patê sairá meio cinza, mas será só por fora mesmo, depois do repouso ele ficará rosado por dentro.

Como a bebida é essencial pro equilíbrio dos sabores e dá vida ao patê, é importante que tenha características marcantes, por isso o conhaque, mas na falta use whisky (vinho, vodka, cachaça não deixam o patê tão bom).

Ingredientes

  • 150 g de manteiga gelada em cubinhos
  • 1 cebola média em fatias (150 g)
  • 500 g de fígado de galinha totalmente limpo de nervos, gorduras e partes esbranquiçadas e esverdeadas
  • 1/4 de xícara (chá) de conhaque (60 ml)
  • 1 colher (chá) de sal
  • ¼ de colher (chá) de pimenta-do-reino

Preparo

Numa frigideira grande, aqueça 50 g de manteiga, doure ligeiramente a cebola e junte o fígado, o sal e a pimenta. Quando o fígado perder a cor brilhante e avermelhada por fora e ficar com tom bege opaco, conte 2min e retire do fogo. Deixe amornar por uns 5min e bata no liquidificador até obter uma pasta bem lisa.

Forre com filme plástico uma fôrma média para bolo inglês (se quiser desenformar) ou separe um pote ou uma tigela se preferir servir diretamente no recipiente escolhido. Na mesma frigideira, aqueça a manteiga restante só até começar a derreter e a amolecer, mas sem derreter e nem começar a chiar e a fritar, então junte o conhaque, espere levantar fervura, acrescente a pasta de fígado, espere de novo levantar fervura, acerte o sal e a pimenta e imediatamente retire a panela do fogo. Despeje a mistura na fôrma e acredite que, depois de esfriar, a superfície continuará acinzentada, mas por dentro o patê ficará rosado. Leve à geladeira por 3h para firmar, desenforme se for o caso, e sirva com pão fresco ou torradas.

34 Comentários

  1. 1

    Realmente muito bom este post! Conteúdo Relevante!
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens.
    Trabalho pela internet a alguns anos com meu blog de decoração e adoro
    tudo referente ao assunto. Sei que o assunto não é decoração mas adoro
    saber novidades em diferentes nichos e áreas. Obrigada

  2. 2
  3. 6
    • 7

      Oi, Amanda! Teoricamente dá sim, mas eu nunca fiz, acho que o essencial será cortar o fígado em cubos uniformes de no máximo uns 2cm pra que cozinhem e dourem por igual. Bj

  4. 8
  5. 9
  6. 11
  7. 13
  8. 15
    • 16

      marcelo, boa tarde! já congelei e concluí que o sabor continua bom, mas a textura muda bastante, depois de descongelar patê perde o aveludado característico. como ele fica perfeito por uns três dias na geladeira, dá pra se programar e servir o patê sem precisar congelar. um abraço, helô

  9. 17
    • 18

      Alexandre, bom dia!
      Bom saber que você gostou e que está aproveitando as nossas receitas e fotos inspiradoras, cheias de dicas e sugestões.
      Conte sempre pra gente como ficou!
      Abraços, Helô

  10. 19

    Querida Helô! Não lhe conheço, mal sei sua voz porque cheguei aqui em busca de uma boa receita de patê de fígado… Mas já lhe considero! S2

    Parabéns! Sua receita me fez conseguir comer fígado! Ficou maravilhoso!

    Fora o cheiro surpreendente da manteiga com o conhaque! Surreal!

    Deus te abençõe!

    • 20

      Priscila, boa noite!
      Que gostoso saber que a receita não só deu certo, como fez sucesso e ainda nos aproximou.
      O “Na cozinha da Helô” tem muitas dicas, receitas e histórias deliciosas pra você passar horas e horas lendo, cozinhando e deixando a sua mesa mais gostosa ainda.
      Conte sempre com a gente.
      Abracos, Ana e Helô

  11. 21
    • 22

      Enilda, pode mexer, mas é tão rápido que quase nem precisa. Não é necessário mexer sem parar e de forma intensa, mas umas mexidas vão bem. Obrigada pela dica da receita, arrumaremos agora mesmo.
      Abraçøs e boa noite, Ana e Helô

  12. 23

    Pronto!!!!
    Muito suave,uma delícia. Parece Foie Gras ,só que de frango.Nem precisamos super alimentar os pobres Gansos .
    Muito boa sua receita,obrigada!

    • 24

      Flávia, boa tarde!
      Delícia saber que você gostou, pois é mesmo muito bom, delicado e não é fruto de alimentação além da conta e com sofrimentos exagerados.
      Aproveite as receitas do Na Cozinha da Helô e vá contando pra gente.
      Abraços, Ana e Helô

  13. 25

    Oi Heloísa!!!! O meu ficou saborosíssimo, porém, não ficou rosado. Fiz as etapas num tempo supostamente hábil. Onde posso ter errado; consegue identificar!? Ah, ainda em tempo, acrescentei noz-moscada, ficou legal. Muito obrigada!!!!

    • 26

      Adriana, boa noite!
      Que boa ideia a da noz-moscada! Deve ter ficado bem gostoso.
      Quanto ao rosado, às vezes, mesmo a gente tomando os cuidados todos, isso acontece. Não é grave, mas a gente sempre busca aquele rosado lindo … Um fogo mais forte, a panela que transmite mais ou menos calor … só mesmo tentando e refazendo pra ajustar daqui e dali e chegar ao que se espere.
      Conte sempre com a gente.
      Abraços, Ana e Helô

  14. 27
    • 28

      Livia, boa tarde!
      Fígado de galinha é bem fácil de encontrar, todo supermercado oferece bandejinhas, tanto fresco, como congelado.
      Bom demais saber que você está adorando o site. Obrigada pelo carinho.
      Abraços, Ana e Helô

  15. 29

    qual a validade do patê , posso colocar em potinhos menores? como trabalho com cestas gostei muito dessa receita e seria um adicional bem legal para agregar valor.

    • 30

      Juliana, boa noite!
      O patê é delicioso e com certeza fará sucesso. Você pode colocar em potinhos menores e manter o paté na geladeira por até 3 dias. A refrigeração é fundamental, pois moramos num país quente e não podemos correr riscos.
      Depois conte pra gente como ficou.
      Abraços, Ana e Helô

  16. 31

    Bom dia. Comecei a comer fígado de galinha a pouco tempo e passei a gostar, mas não são todos que ficam bons, rs. Uma amiga me falou do patê de fígado, esqueci a receita dela porque foi numa conversa longa. Ontem resolvi fazer e procurando no site vi alguns, *mas quando me deparei com a receita da Helô,* hummmm, descartei todas as outras. Fiz e foi um sucesso, ficou MARAVILHOSA, realmente incrível, o sabor fica super suave. Apaixonei pela sua culinária, pois tem um jeito muito pessoal nas suas receitas, tem história, sentimentos, conteúdos e sabores fantásticos. Minha 1ª experiência foi o cuscuz branco sem lactose, simplesmente amei tudo, deu super certo e fui adaptando ao meu sabor, hoje faço o cuscuz da Helô com um toque pessoal. Muito obrigada por compartilhar conosco suas receitas. O verdadeiro mestre e sábio compartilham o que sabem não retendo conhecimentos.

    • 32

      Ledi, boa noite!
      Ficamos muito felizes com a sua mensagem. Como tudo aqui na Cozinha da Helô é feito com muito carinho e muita dedicação, desde os primeiros estudos e pesquisas, aos testes, ao texto, à produção e às fotos, mensagens como a sua são o nosso maior incentivo.
      Bom saber que o patê de fígado e o cuscuz branco já fazem parte do seu dia a dia e agora já têm o seu toque pessoal.
      Conte sempre com a gente.
      Abraços, Ana e Helô

  17. 33
    • 34

      Daniella, boa tarde!
      O tempo é suficiente para evaporar o álcool do conhaque e, com esse tempo, você consegue que o fígado mantenha o tom rosado depois de frio. QUando se cozinha por mais tempo, ele fica totalmente bege acinzentado e um pouco mais esfarelento, mas continua delicioso, com o aroma e o sabor leve da bebida, mas sem álcool.
      Acho que vale você experimentar. A gente amou saber que tem um fã seguidor de 2 anos!!
      Conte depois pra gente como ficou.
      Abraços, Ana e Helô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *