Adicionar à minha lista

Paçoca de pinhão e carne seca

Ana Bacellar Paçoca de pinão e carne seca

Essa paçoca de pinhão e carne seca lá da roça é deliciosa. É uma receita muito nossa e com grande influência indígena, pois até o nome paçoca vem do tupi, algo socado e esmagado. Pra virar paçoca, é preciso socar no pilão a carne cozida com gordura – aqui carne seca – e farinha clara de mandioca, ou de milho, até a carne se desmanchar e a gordura envolver os grãos da farinha e tudo se transformar numa farofa úmida e esfiapada.

Por muito tempo, ela foi comida de resistência de bandeirantes, tropeiros e outras viajantes. Eles carregaram paçoca de carne nas suas viagens. Isso acontecia porque a mistura seca de farinha com carne e gordura durava vários dias sem refrigeração. A preparação era tão boa que mesmo aqueles que não precisavam viajar acabaram se encantando. Só que, como não precisavam se preocupar com conservação da receita por muito tempo, passaram a temperar melhor a carne, usando cebola, alho e cheiros.

Eu cresci fazendo e comendo paçoca! Sempre carregava um pouco pra comer com o meu irmão Ricardo durante as longas cavalgadas que a gente fazia pelas estradas e trilhas de São Luiz do Paraitinga, Lagoinha, Catuçaba e Cunha. A gente pedia de café quando encontrava alguma casa pelo caminho e comia paçoca. Vida simples total.

A carne seca dá sabor um delicioso à paçoca, mas também podem ser utilizadas sobras de pernil ou de carne assada ou ensopada. Na pressa, até carne moída bem refogada e úmida, 200 g de bacon picado e refogado com a cebola.

E vegetarianos e veganos: deixem a carne de lado e dobrem a quantidade de cebola, pois ela será a grande responsável pela umidade da paçoca.

Como eu sempre tive pilão em casa (na verdade, tenho 1 em São Paulo e 2 na fazenda) e adoro paçoca de carne, e também de amendoim, vira e mexe faço um tanto pra matar a vontade. Mas na falta do pilão ou na pressa, pois socar dá um trabalhinho, uso o processador, que estilhaça um pouco a carne, mas resolve.

Como eu adoro pinhão, costumo socar uma parte do pinhão com a farinha e a carne desde o início e junto o restante no final pra ter pedaços maiores no meio da paçoca.

Uma boa colherada de paçoca de pinhão e carne seca com arroz de todo dia, uma concha de feijão de todo dia, pimenta e rodelas de banana já fazem uma refeição. Pura comida de roça!

Ingredientes

  • 4 colheres (sopa) de óleo vegetal (60 ml)
  • 1 cebola grande em cubinhos (180 g)
  • 1 dente de alho picadinho
  • 500 g de carne-seca dessalgada, cozida e bem macia
  • 6 colheres (sopa) de salsinha e cebolinha picadas (6 ramos)
  • 2 xícaras (chá) de farinha de mandioca não muito torrada (240 g)
  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de pinhão cozido, descascado e grosseiramente picado (500 g)
  • Sal

Preparo

Refogado – Aqueça o óleo numa frigideira grande, doure ligeiramente a cebola, junte o alho, espere perfumar e acrescente o pinhão. Misture até envolver bem, junte sal e espere aquecer. Retire mais ou menos 1 xícara de pinhão da frigideira e reserve pra finalização. Coloque a carne seca (ou de panela ou moída pronta) na frigideira, espere aquecer bem, misture as ervas e a farinha, acerte o sal e retire do fogo.

Finalização – Soque tudo no pilão até conseguir uma espécie de farofa bem homogênea e úmida ou bata no processador. Junte o pinhão restante e sirva com arroz branco de todo dia, feijão de todo dia e um molhinho de pimenta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *