Adicionar à minha lista

Grissini com ervas e parmesão

Grissini são biscoitinhos italianos salgados e alongados, como palitos compridos de uns 20 a 50 cm. Em italiano, “grissini” já é plural, quer dizer, são vários biscoitos, mas aqui não tem jeito, é um grissini e são vários grissinis, o s é abrasileiramento.

Eu, que adoro crocantes e tudo que tem a ver com pão e com torradas e, também, pastas cremosas e azeites, acho o máximo preparar um tanto de grissini e servir um maço amarrado com uma fita ou num vaso lindo. Ao lado, coloco tigelinhas com azeites e outras pastas cremosas, queijos e embutidos fatiados bem fininho e já se tem uma mesa de aperitivos belíssima.

A massa é simples de preparar, só abrir e cortar em tiras longas é que dá um trabalhinho, mas nada de grave. Às vezes, abro a massa com um rolo e corte as tiras finas com uma faca de chef, com lâmina bem grande pra evitar emendas, mas o melhor método, o mais prático, eficiente e que dá resultados uniformes, é o da máquina pra massas, que aprendi há mais de 20 anos numa revista americana. Usando a máquina, basta primeiro abrir um retângulo com espessura fina, trocar o cilindro liso pelo de talharim e passar a massa pra cortar em fitas finas perfeitas. Se quiser um efeito ainda mais lindo, torça cada tirinha de massa e depois coloque na assadeira com bastante cuidado.

Pra deixar os grissini ainda mais incríveis, costumo regar os biscoitos bem quentes, recém saídos do forno, com um pouquinho de azeite e polvilho com parmesão (veganos apenas deixam o parmesão de lado).

Quanto mais longos e uniformes, mais bonitos eles ficam, mas se ficarem irregulares e meio quebrados não é nada de grave. Com a prática, tudo fica mais fácil. O que importa é que o sabor e a textura são incríveis.

O bom é que dá pra preparar os grissini com até uma semana de antecedência, desde que guardados num pote bem fechado. Ou seja, são práticos pra receber e ainda muito bonitos como presentinhos.

Dei o rendimento em porções porque é um tanto complicado estimar a quantidade, os tamanhos dos palitos e a espessura sempre variam.

Ingredientes

  • 1 envelope de fermento biológico seco
  • 1 xícara (chá) de água morna (240 ml)
  • 1 colher (sopa) de açúcar (15 g)
  • 3 e 1/2 xícaras de farinha de trigo (aproximadamente, 420 g)
  • 2 colheres (chá) de sal
  • 1/2 colher (chá) de pimenta-do-reino
  • 1 xícara (chá) bem cheia de uma mistura de folhas de ervas frescas variadas, como alecrim, sálvia, manjericão e tomilho
  • 1/4 xícara (chá) de azeite de oliva (60 ml)
  • ½ xícara (chá) de queijo parmesão ralado (50 g)
  • Azeite de oliva pra untar
  • Farinha de trigo pra polvilhar

Preparo

Misture o fermento, água e o açúcar numa tigela grande, junte 1/2 xícara (chá) de farinha, cubra com um pano e deixe descansar por uns 15 minutos, até surgirem bolhas.

Acrescente o sal, a pimenta, as ervas picadinhas e o azeite e junte a farinha aos pouquinhos, trabalhando a massa até ficar bem macia e se soltar das mãos.

Coloque a massa numa tigela ligeiramente untada com azeite, cubra com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 2h ou por até 2 dias.

15min antes de assar, aqueça o forno a 180ºC (médio-alto), separe 2 assadeiras grandes e polvilhe uma superfície com farinha.

Retire da geladeira metade da massa e abra com um rolo até formar um quadrado de uns 30 cm e com uns 3 mm de espessura (como uma casca de banana). Com uma faca afiada, corte 40 tirinhas da espessura de um lápis e transfira pra a assadeira, sem encostar uma na outra. Se preferir, abra a massa com a ajuda de uma máquina pra massa e corte usando o cilindro mais grosso pra talharim.

Asse a primeira leva por uns 20min, até que estejam bem dourados e crocantes e, enquanto isso, prepare o restante da massa.

Guarde os biscoitos já frios num pote bem fechado por até 1 semana.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *