Adicionar à minha lista

Geleinha de cachaça

Ana Bacellar

Se há um docinho de festa que não tem cara de criança é a geleinha de cachaça, que também é conhecida por geleinha de pinga.

Ninguém precisa se preocupar com a cachaça, pois tudo cozinha e ferve tanto até chegar ao ponto de cortar e secar, que não sobra nada de álcool, ele evapora completamente e qualquer um pode comer, tanto os adultos que não bebem ou não gostam de cachaça, como as crianças.

Quando eu era criança, toda mesa de aniversário tinha um prato com uma pilha desses quadradinhos rosados com cobertura açucarada, com textura de bala de goma, sabor e perfume misteriosos. Eu era pequena e adorava, ficava feliz demais quando encontrava a tal geleinha pela frente.

As gelatinas deixam o doce com textura de bala de goma, a vermelha também dá cor, a cachaça da sabor e aroma e o açúcar adoça e faz com que tudo se transforme em bala.

Experimentei algumas versões diferentes, mas confesso que, apesar de ter achado o método dessa receita bem estranho, pois pedia pra ferver a gelatina por mais ou menos uma hora, não mexer depois da fervura de jeito algum e não levar à geladeira de modo algum, foi esse o caminho. Depois de uns ajustes, cheguei à geleinha dos sonhos.

É fundamental escolher uma panela grande e larga, já que a mistura ferve, sobe muito e quando transborda faz uma lambança no fogão (tirar todo o grude é infernal).

Quando as bolhas da geleia ficam grandes e brilhantes e a geleia engrossa, é hora de despejar numa assadeira, e mais uma vez parece que tudo vai dar errado, que ela vai transbordar de novo, mas nada disso, as bolhas somem em poucos minutos.

Não leve mesmo à geladeira, a bala firma depois de umas 6h em temperatura ambiente. Depois de firme, basta desenformar a placa de geleia sobre uma superfície polvilhada com muito açúcar, dividir em quadradinhos usando uma tesoura também polvilhada com açúcar pra não grudar, deixar secar e guardar num pote fechado em temperatura ambiente por até uma semana.

Com o passar das horas, a camada açucarada de fora seca e só o miolo continua macio.

Eu não resisto, pego uma sempre que passo por perto do pote. Já fiz versões mais modernas, com sucos como de maracujá, groselha e baunilha e usando só gelatina incolor, todas saborosas, mas instáveis, elas firmam, mas são mais úmidas e melam muito rápido.

Ingredientes

  • 4 envelopes de gelatina vermelha sem sabor (48 g)
  • 2 envelopes de gelatina incolor sem sabor (24 g)
  • 2 e ½ xícaras (chá) de água (600 ml)
  • 1 kg de açúcar comum (pra cozinhar a geleia)
  • 1 xícara (chá) de cachaça (240 ml)
  • Óleo pra untar
  • Açúcar comum pra polvilhar

Preparo

Coloque todas as gelatinas numa tigelinha com ½ xícara de água e deixe repousar por 5min. Enquanto isso, ferva 1 xícara de água.

Regue a gelatina com a água fervente, mexa com um batedor de arame até dissolver completamente e transfira pra uma panela grande e larga. Junte a xícara de água restante, o quilo de açúcar, a cachaça e mexa sem parar até dissolver e ferver.

Então, pare imediatamente de mexer, diminua o fogo e cozinhe por mais ou menos 1h, até engrossar bastante e surgirem bolhas grandes (a geleia sobe bastante, mas só transbordará se a panela for pequena).

Unte uma assadeira de uns 22x18cm com óleo, reserve.

Despeje a geleia fervente na assadeira, mas não raspe e não utilize de jeito algum a calda de permanecer nas paredes e base da panela, e não se preocupe, pois embora pareça que tudo vai transbordar, as bolhas diminuem e a calda se acomoda.

Deixe a geleia repousar de 6 a 12h fora da geladeira, depois desenforme a placa do doce sobre uma superfície polvilhada com bastante açúcar.

Pra não grudar, polvilhe com açúcar as lâminas da tesoura, e corte em tiras e a seguir em cubos. Role os cubos no açúcar e deixe repousar em temperatura ambiente e sem cobrir por mais umas 3h.

Quando as geléinhas estiverem bem secas por fora, transfira pra um pote, feche e guarde fora da geladeira por até 3 dias (como eu gosto delas macias por dentro, acho que depois desse tempo elas secam demais, açucaram por fora, mas tem gente que come feliz por 1 semana).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *