Adicionar à minha lista

Geléia de morango

Ana Bacellar

Pra muita gente, café da manhã quer dizer pão gostoso, manteiga, queijo, mel e geleia.

Como eu sou bem sabiá, adoro frutas e tenho sempre um bom tanto delas na cozinha, costumo fazer ao menos uma panelinha de geleia de vez em quando. Aproveito as frutas doces, perfumadas e com preço bom de cada estação e não perco qualquer chance de usar as colheitas do quintal de casa e do pomar da fazenda.

Adoro geleias de laranjas, mexericas e limões, de frutas do mundo tropicais, de maçã, pera, pêssego, figo, das brasileiríssimas da mata atlântica, como cambuci, pitanga e jabuticaba e das tão queridas frutas vermelhas, quer dizer, framboesa, amora, mirtilo, groselha e morango.

Geleia de morango continua sendo a favorita de muita gente, reinado absoluto. Assim, quando encontro morangos bem vermelhos, perfumados, maduros e perfeitos, sem machucados, que quase saem da cesta da Chapeuzinho Vermelho, compro uns quilos e preparo alguns vidros pra guardar e usar por meses.

É importante saber que fruta sem graça não faz milagre e que a sua geleia será sem graça sempre, portanto é muito melhor deixar de lado aquele morango que parece perfeito de olhar, mas que é puro isopor, sem gosto e sem perfume, e investir em morangos de verdade, maduros, saudáveis, doces, perfumados e tamanhos naturais, uns maiores e uns menores, uns mais arredondados, outros mais alongados ou tortinhos (pra mim, são esses morangos que ganham o concurso de beleza).

Quem quer fazer geleia pra aproveitar a safra e durar por bastante tempo fora da geladeira não tem como escapar da esterilização dos vidros e do processo que envolve a colocação da geleia nos potes, ferver e esfriar, não é difícil, mas só funciona se as etapas forem respeitadas.

Tudo fica mais simples se a ideia for apenas preparar geleia pra consumir nuns 15 dias, pois basta colocar a geleia pronta num pote e guardar na geladeira. A geladeira também é essencial quando se usa pouco ou nada de açúcar, que além de adoçar serve de conservante natural.

Quando não uso açúcar, coloco a geleia pronta num pote, levo à geladeira e consumo em no máximo uma semana, não mais porque ela começa a azedar ou embolorar.

Eu me divirto em todas as fases do processo, desde escolher a fruta até chegar ao resultado final, mas confesso que adoro o momento de escrever o tipo de geleia e a data do preparo na etiqueta que colo no pote, a sensação é deliciosa.

Eu só fico mais feliz quando, passados pelo menos 6 meses da data em que a minha geleia “nasceu”, abro o pote e encontro uma geleia perfeita.

Ingredientes

  • 500 g de morango bem maduro e limpo, cortado ao meio (normalmente umas 2 bandejinhas)
  • 2 colheres (sopa) de suco de limão (30 ml)
  • 1 e ½ xícara (chá) de açúcar (225 g)

Preparo

Coloque um pires vazio no freezer pra que esteja bem gelado na hora de testar o ponto da geléia.

Numa panela média, aqueça o morango e o suco de limão e deixe em fogo médio por uns 15min, até que ele esteja macio e com bastante líquido.

Junte o açúcar, mexa até dissolver e cozinhe por uns 30min, misturando de vez em quando com uma colher de pau, até conseguir uma geleia avermelhada, escura e bem brilhante, mas que dará a impressão de estar mole até esfriar.

Comece a testar o ponto a partir de uns 20min da adição do açúcar: retire a panela do fogo, coloque uma colher de chá de geleia no pires bem gelado, espere 1min, ou até criar uma película, e empurre uma das extremidades com a ponta do dedo para ver se enruga; se enrugar, ela estará pronta e, se ainda não enrugar, volte ao fogo por mais uns 5min e repita o teste até chegar lá.

Despeje a geleia quente num pote de vidro limpo e bem seco, deixe esfriar, tampe e guarde na geladeira por até 1 mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *