Adicionar à minha lista

Frango com quiabo

Ana Bacellar

Quem experimenta costuma adorar esse prato tão caseiro, mineiro, de roça mesmo. Vira e mexe preparo a receita em casa e todos ficam felizes. Pra acompanhar, faço feijão de todo dia, arroz branco de todo dia ou um angu (veja a receita das polentas cremosas coloridas, só fazer a básica) ou, no lugar da polenta básica, faço o angu de milho verde e queijo que é demais de bom.

A receita nada mais é do que um frango ensopado bem temperado com quiabos inteiros, se forem pequenos ou miniquiabinhos, ou em rodelas.

Usar um frango caipira faz toda a diferença na receita. O caipira é criado solto, cisca e come comida de verdade, além de ser livre de hormônios que aceleram o crescimento e antibióticos absurdos, e é muito mais saboroso e tem textura real de frango. Dizem por aí que o caipira é sempre duro e leva horas pra cozinhar, ou que só cozinha se for em panela de pressão, mas não é bem assim, isso acontece com frangos e galinhas velhas e que criaram musculatura. Os frangos abatidos na idade certa são macios, cozinham normalmente na panela e no máximo em 1 hora e hoje aparecem nos balcões de congelados da maioria dos supermercados. Vale muito a pena!

Usar frango com ou sem pele fica a critério de cada um. A pele dá sabor ao prato, mas como ela fica mole, pois a receita é com molho e de panela, é fato que nem todo mundo acha graça e acaba tirando. Como, em casa, a maioria é contra a pele, costuma fazer sem, mas se houver pele, basta tirar. Use um frango em pedaço ou apenas os pedaços que fazem mais sucesso na sua casa.

Quanto ao quiabo, fico triste quando escuto muita gente dizer que odeia quiabo, aí pergunto se já experimentou e a resposta costuma “eu não, tem baba”. Tadinho do quiabo, odiar é tão forte, e ele não merece, pois além de lindo é nutritivo, tem propriedades medicinais, delicado e delicioso. Aliás, em inglês ele é conhecido por dois nomes, okra e lady fingers, pois realmente tem formato alongado e refinado de dedos de moça, acho o máximo.

Na hora de escolher os quiabos, deixe de lado os bem grandes (com mais de uns 12 cm), normalmente mais fibrosos, e aqueles com risquinhos escuros, que significam que eles já não são frescos, os menores e bem verdes são sempre os melhores. Mas o que gosto mesmo é de usar os quiabos colhidos dos pés que se enroscam pelas cercas da fazenda.

A famosa baba: não se aflija com ela, que não só faz parte da receita, como ajuda o molho a encorpar, mas é fato que, quanto menos se mexe na panela, com menos baba aparece. A colherada de vinagre também ajuda a diminuir a quantidade de baba.

Ingredientes

  • 1 kg de frango, em pedaços, com ou sem pele, ou dos pedaços que quiser
  • 1 dente de alho, esmagado com 1 colher (sopa) rasa de sal
  • Suco de 2 limões Taiti
  • 1 folha de louro
  • 1 cebola grande, em cubinhos
  • 4 tomates maduros, sem sementes, em cubinhos
  • 2 xícaras (chá) de água ou caldo de galinha (480 ml)
  • 500 g de quiabo bem verde, em rodelinhas ou inteiro se for miúdo
  • 1 colher (sopa) de vinagre (15 ml)
  • 4 colheres (sopa) de salsinha e cebolinha picadas (2 ramos de cada)
  • Óleo vegetal
  • Sal
  • Pimenta-do-reino moída na hora

Preparo

Besunte o frango com o alho com alho, o limão e o louro e deixe repousar por umas 6h na geladeira.

Doure a cebola num fio de óleo, acrescente o tomate, espere murchar e transfira pra um prato.

Na mesma panela, junte mais um fio de óleo e doure o frango de todos os lados. Volte com o refogado pra panela, junte a água e cozinhe por uns 40min, até que a carne esteja bem macia.

Numa frigideira média, aqueça um fio de óleo numa frigideira, junte o quiabo, o vinagre e, quase sem mexer pra não juntar muita baba, doure de todos os lados.

Passe pra panela do frango, junte as ervas e acerte o sal e a pimenta.

Sirva com feijão de todo dia, arroz branco de todo dia ou um angu (veja a receita das polentas cremosas coloridas, só fazer a básica) ou com o angu de milho verde e queijo.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *