Adicionar à minha lista

Focaccia macia da Helô

Ana Bacellar

Tem receitas que a gente faz, faz, faz e não enjoa. Essa focaccia faz parte da minha vida há muitos anos, uns 25 pelo menos, sempre faço e ela inevitavelmente acaba rapidinho, pois todos adoram.

Por muito tempo, usei apenas água como líquido e açúcar pra dar aquele empurrãozinho no fermento e desencadear o crescimento da massa, mas num dia em que a coleta de mel na fazenda foi farta, troquei o açúcar por mel e ele, além da função básica, ainda deu um gostinho especial ao pão e passei a usar mel sempre. Quanto ao líquido, um dia li sobre uma versão de focaccia que levava um pouco de vinho branco, então experimentei, adorei e como sempre tenho garrafas com restinhos de vinho branco na geladeira, incorporei o ingrediente à receita.

A focaccia é ótima a qualquer hora, tanto pra fazer sanduíches abertos ou fechados, quanto pra acompanhar uma refeição ou servir com pastas variadas e vai bem no dia-a-dia e também pra receber.

Como ela fica gostosa por uns 2 dias, depois começa a secar, nessa hora eu já faço um pão fresquinho, mas aproveito o pedaço que estiver sobrando pra cortar em fatias finas ou em cubinhos, pincelo com azeite e levo ao forno, ficando com torradas ou croutons saborosos por mais uns dias (duram mais se guardados num pote bem fechado).

No dia-a-dia, costumo fazer a focaccia mais básica, só folhinhas de alecrim, sal grosso e azeite de oliva, mas às vezes troco o alecrim por manjericão ou sálvia, ou espalho por cima lascas de azeitona, filezinhos de anchova ou tomatinhos cortados ao meio (uns 150 g), ou aqueço umas 2 cebolas ou 4 talos de alho-poró fatiados de num pouco de azeite com umas pitadas de sal, espero murchar e começar a dourar, deixo esfriar e uso a preparação como cobertura.

Pra receber, já fiz 3 ou 4 massas, coloquei cada uma delas em uma assadeira e fiz coberturas variadas e também já fiz uma única focaccia e espalhei coberturas diferentes na superfície, como se fosse faz com uma pizza de sabores variados. Quer dizer, usando a criatividade sempre se terá algo diferente pra servir.

Substituindo o mel por melaço de cana ou açúcar a receita se transforma em vegana.

Ingredientes

  • 1 envelope de fermento biológico
  • 1 e 1/3 de xícara (chá) de água morna (320 ml)
  • 4 e ½ a 5 xícaras (chá) de farinha de trigo (600 g, aproximadamente)
  • 2 colheres (sopa) de mel (30 g)
  • 1 colher (sopa) de sal (15 g)
  • 1/3 de xicara (chá) de vinho branco (80 ml)
  • ¼ de xicara (chá) de azeite de oliva (60 ml)
  • 1 colher (sopa) de sal grosso (15 g aproximadamente)
  • 2 ramos de alecrim (só as folhinhas)
  • Azeite pra untar e regar
  • Fubá pra polvilhar

Preparo

Numa tigela média, misture o fermento, a água morna, 1 colher (sopa) de farinha, o mel e deixe repousar por uns 10 minutos, até começar a borbulhar.

Junte o sal, o vinho, o azeite e, aos poucos, vá incorporando farinha e trabalhando até obter uma massa que descole das mãos, mas que ainda seja bem macia.

Trabalhe a massa sobre uma superfície levemente polvilhada com farinha por uns 5min, até que fique bem elástica e ainda mais macia.

Coloque a massa numa tigela untada com azeite, cubra com filme plástico e deixe repousar por umas 2h, ou até dobrar de volume.

Transfira a massa pra uma assadeira média untada com azeite e polvilhada com fubá, achate e acerte com as mãos pra conseguir uma camada uniforme.

Cubra com filme e deixe crescer por mais 1h, ou até novamente dobrar de volume.

Faltando uns 15min pra completar o tempo, aqueça o forno a 180ºC (médio-alto).

Fure a superfície da focaccia com a ponta do dedo pra conseguir várias pequenas cavidades, salpique com o sal grosso, espalhe por cima as folhinhas de alecrim, ou a cobertura que quiser, regue com azeite o bastante pra umedecer a superfície e preencher vários furinhos.

Asse a focaccia por uns 35min, até que esteja crescida, firme e bem dourada.

Retire do forno, deixe amornar por uns 10min, desenforme e sirva.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *