Adicionar à minha lista

Super farofa de farinha de milho

Ana Bacellar Farofa de farinha de milho

Conhece a receita de farofa de farinha de milho?

Eu e as farofas

A minha paixão por farofa é tamanha que sou capaz de almoçar ou de jantar só farofa (mesmo), ou farofa com arroz, só farofa com feijão, ou farofa com banana (meu avô paraibano também amava).

Gosto de farofa de tudo o quanto é jeito e, no dia a dia, vario bastante. Um dia a farofa é de farinha de mandioca mais fina, no outro de uma mais grossa ou biju das crocantíssima, no outro é de farinha d’água paraense, e, em outros, eu faço farofa de farinha de milho, das flocadas bijus.

Por incrível que pareça, fora de São Paulo e de alguns lugares de Minas Gerais, as farofas de farinha de milho não são tão comuns, e isso é uma pena, pois é bom demais. Muita gente só se lembra da farinha de milho pra fazer cuscuz, tanto daquele nordestino que pode ser doce ou salgado, como do paulista, e nem pensa nela como farofa.

Em casa, desde criança, e na fazenda em São Luís do Paraitinga, sempre teve farofa simples de farinha de milho na manteiga com ovo, com couve, com bacon, com linguiça ou com um pouco de cada coisa. No site, logo no início, postei uma receita bem simples de farofa de farinha de milho com ovo.

Um pouco daqui, um pouco dali

A ideia da receita de hoje é mostrar que, mantendo a simplicidade e juntando vários “restinhos” que a gente vai guardando na geladeira, dá pra preparar uma super farofa. Aí vêm as perguntas…Tem mesmo que usar a lista toda de ingredientes? Não tenho cebola, posso usar alho? Em casa ninguém gosta de couve ou de linguiça, o que fazer?

A resposta é sempre a mesma pra todas as perguntas. Na panela da farofa sempre cabe o que se gosta e o que se tem em casa, e sempre ainda cabe mais alguma coisinha.

Eu, por exemplo, há uns três dias, estava com um vidro de farinha de mandioca biju na mão quando olhei pro vidro ao lado, cheio de farinha de milho, e mudei de ideia. Decidi que a farofa seria de farinha de milho e fui vasculhar a geladeira atrás de possibilidades. Então montei a receita do dia: uma cebola pequena já fatiada (sempre tenho uma cortada pros momentos de pressa), meio paio (havia usado a outra metade no feijão da véspera), um final de vidro de azeitonas verdes picadas, 1 ovo, uns 2 ramos de salsinha e um pedaço de manteiga.

Fique de olho

Importante saber que não dei a quantidade de farinha em peso, mas sim em volume, pois os pesos variam demais. As sequinhas, tostadas e bijus, como a da Fecularia Nossa Senhora de Brotas, que os Bragato preparam pra mim, são levíssimas (1 xícara chega a uns 50 g), e há algumas industrializadas que têm flocos mais grossos e pesados (1 xícara pode dar uns 100 g). Use umas 2 xícaras pra ter 4 porções fartas de farofa e, se sobrar, já terá algo pronto pra refeição seguinte.

De todo modo, pesando mais ou menos, farinha de milho sempre faz volume e, assim, é sempre bom preparar a farofa numa frigideira grande.

Na boca do fogão

No fogo, o processo acontece rápido. Pra farofa de hoje, eu aqueci com a manteiga, juntei o paio (que solta um pouco de gordura, mas era magro e não seria suficiente pra deixar a farofa úmida) e deixei murchar e começar a dourar.

Então acrescentei a cebola, esperei murchar e também começar a dourar e adicionei o ovo. Quando o ovo virou “ovo mexido” cremoso, juntei a azeitona, a farinha de milho e a salsinha e não parei mais de mexer, tanto pra envolver tudo e umedecer por igual, como pra dar uma secada na farofa no final, coisa de uns 2 minutos, no máximo. Nesse tempo dá pra ver a farinha mudando de cor e de textura, só fazendo mesmo pra entender.

Nessa hora, é preciso ter cuidado, pois se a farinha começa a tostar num dos cantos da frigideira, o gosto e o cheiro de queimado passam pra tudo e não tem solução, farofa perdida. Como eu já estava usando paio e azeitonas, que são salgados, deixei pra verificar o sal só no final e nem precisei acrescentar, mas nunca se sabe.

Ou seja, daria tranquilamente pra ter usado alho e não cebola, alguma carne desfiada ou alguma linguiça fresca dourada. Ou talvez rodelas de banana no meio do refogado, couve em tirinhas, azeitonas pretas no lugar das verdes. Quem sabe até coentro ou cebolinha e não salsinha, ovo cozido picado e não o mexido na própria frigideira. Liberdade total. Mais um método e não receita rígida.

A Ana e eu fizemos a foto e, em seguida, almoçamos a farofa de farinha de milho com arroz de todo dia, feijão de todo dia e salada de alface e tomate com o molho de salada básico que sempre tenho pronto num vidro, pois na vida real eu faço exatamente como ensino no post molhos de salada. Um almoço bem caseiro e gostoso.

Quanto ao tempo, posso dizer que, na panela tudo é muito rápido. Mas é complicado estimar pra valer, pois tudo vai depender das escolhas e possibilidades do dia.

Ingredientes

  • 25 g de manteiga
  • ½ paio (puxe e descarte a capa fina que envolve o embutido, pois apesar de comestível eu acho melhor usar sem; corte em rodelas e depois em 4 ou em tiras finas; 100 g)
  • 1 cebola pequena em fatias finas (120 g)
  • 1 ovo
  • 2 colheres (sopa) de azeitona em lascas (verde ou preta)
  • 2 xícaras (chá) de farinha de milho flocada e crocante (quanto mais biju, melhor)
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada
  • sal

Preparo

Aqueça a manteiga e o paio numa frigideira grande e, misturando de vez em quando, deixe o paio murchar.

Quando ele começar a dourar, junte a cebola. Assim que a cebola começar a dourar, misture o ovo, deixe começar a firmar, mexa, espere mais um pouco e siga assim até ficar com jeito de ovo mexido mole (nem cru, nem seco).

Então, acrescente a azeitona, a farinha de milho e a salsinha e, sempre mexendo, mantenha no fogo por mais uns 2 a 3 minutos, até que a farinha incorpore totalmente a umidade dos outros ingredientes e vire uma farofa pra valer. Acerte o sal (deixei pro final porque o paio e a azeitona já são salgados).

Sirva em seguida com arroz de todo dia, feijão de todo dia e uma salada de folhas com um dos nossos molhos de salada.

4 Comentários

  1. 1
    • 2

      Cibele, boa noite!!
      Bom saber que você gostou, farofa de farinha de milho é bom demais.
      Continue seguindo o site e aproveite as nossas novidades.
      Abraços, Ana e Helô

  2. 3
    • 4

      Thais, boa tarde!
      A melhor farinha de milho que conhecemos e que com certeza não é feita com milho transgênico é a farinha de milho da família Bragato, N. Sra. de Brotas, de Lindóia-SP. Vendemos essa farinha no Lá da Venda. Ela é espetacular, os bijus são crocantíssimos e leves, vale a pena experimentar.
      Ligue para o telefone 11.30377702 e combine com as meninas.
      Abraços, Ana e Helô

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *