Adicionar à minha lista

Crumble de maçãs

Aprendi a receita com uma americana em 1981 e, de lá pra cá, já fiz e refiz dezenas de vezes e adoro. Ela também faz parte da lista de receitas mais queridas dos meus alunos e leitores, perdi a conta das mensagens que recebi contando que ela fez tanto sucesso que passou a fazer parte da vida deles.

Na verdade, acho que a receita é Helô demais, é rústica e linda, mescla o macio e o azedinho da polpa da maçã ao crocante da cobertura de farinha, manteiga, açúcar e nozes, tem o toque das especiarias, é fácil de preparar e deliciosa.

Como adoro maçãs e nozes e acho que fazem uma combinação e tanto, vira-e-mexe fico com essa dupla, mas o céu é quase o limite, dá pra mudar as frutas frescas e as secas como quiser e usando tudo que se tem em casa. Já fiz com banana, pera, pêssego, nectarina, ameixa, figo, manga, frutas vermelhas e abacaxi e também já usei castanhas do Brasil, de caju e de baru, macadâmias, pecans, amêndoas, avelãs e pistaches e ainda variei as especiarias. Receita ultra versátil e ponto.

Se o crumble for de maçã, o pulo do gato está nas maçãs, exatamente como acontece com o recheio da torta americana de maçã. Há maçãs pra todos os gostos e finalidades, umas bem doces, outras nem tanto, umas bem ácidas, umas muito suculentas, outras mais secas, umas que mantém a forma depois do cozimento e outras que se desmancham. Por isso, o ideal é usar não só um tipo de maçã, mas sim uma mistura de pelo menos 3 tipos e chegar a um recheio doce, com toques de acidez, pedaçudo e suculento, mas com cremosidade. Como achar maçãs diferentes é tarefa simples e pra receita preciso de umas 4, eu simplesmente compro uma Gala, uma Fuji, uma Granny Smith (verde), uma Red Delicious (a vermelha linda argentina). Com peras faço exatamente o mesmo.

A apresentação pode mudar conforme a ocasião, pois dá pra montar o crumble num único refratário médio, pra que cada um pegue a sua colherada, ou em 4 individuais quando se ser uma sobremesa com ares mais requintados.

Ele pode ser servido quentinho, morno ou em temperatura ambiente. Gelado ele perde muito em sabor, mas vai bem com sorvete de creme ou de nata, com creme de leite cremoso ou batido em chantilly ou com iogurte natural cremoso.

Pra facilitar a vida, dá pra assar até na véspera e aquecer perto da hora de servir.

Ingredientes

Base

  • 4 maçãs, se possível diferentes (uns 650 g, gosto de misturar 1 Gala, 1 verde, 1 Fuji, 1 Red Delicious)
  • 2 colheres (sopa) de suco de limão (30 ml)
  • 2 colheres (sopa) de uva-passa (clara ou escura)
  • 1 colher (sopa) de açúcar mascavo (15 g)
  • 10 g de manteiga derretida
  • 1 colher (sopa) de maisena (15 g)
  • 1 colher (chá) de gengibre em pó
  • 1/4 colher (chá) de noz-moscada ralada

Crosta

  • ½ xícara (chá) de farinha de trigo (60 g)
  • 1 colher (sopa) de açúcar (15 g)
  • 1 pitada de sal
  • ¼ de colher (chá) de canela em pó
  • 50 g de manteiga gelada em cubinhos
  • ½ xícara (chá) de nozes grosseiramente picadas (70 g)

Preparo

Base – descasque e retire o cabinho com o miolo e as sementes das maçãs.

Corte cada uma delas nuns 8 pedaços e coloque numa tigela com o suco de limão, as passas, o açúcar mascavo, a manteiga derretida, a maisena, o gengibre e a noz-moscada.

Misture bem e espalhe num refratário médio (ou 4 individuais), formando uma camada uniforme.

Aqueça o forno a 200ºC (alto).

Crosta – misture numa tigela a farinha, o açúcar, a canela e o sal, depois junte a manteiga e esfarele bem.

Misture as nozes e espalhe sobre a camada de maçãs.

Asse por uns 40min, até que a crosta esteja bem dourada e crocante.

Sirva quente, morno ou em temperatura ambiente com iogurte cremoso ou sorvete.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *