Adicionar à minha lista

Creme gelado de bacuri

Ana Bacellar

Todo mundo sabe que, das frutas amazônicas, o cupuaçu é a mais popular delas todas, tanto na própria região, quanto pelo Brasil afora. Mesmo sem conhecer muito os ingredientes de lá, bastante gente pelo menos já ouviu falar no cupuaçu, que é delicioso, refrescante e versátil. Só que há várias outras frutas escandalosamente boas por lá e o bacuri é umas das consideradas espetaculares (um número considerável de paraenses diz que adora bacuri e que é a melhor fruta amazônica).

Vi algumas árvores imensas de bacuri perto de Bragança e, pelas estradas, não faltava gente vendendo saquinhos com bacuris amarelados e pintadinhos por fora e recheados com polpa branca e fina envolvendo o caroço.

Aprendi que a pura polpa de bacuri custa caro simplesmente porque a quantidade de polpa por fruto é bem pequena, quer dizer, é preciso ter muitos bacuris pra juntar um tanto razoável de polpa, ainda que só pra bater um suco. E é por isso que o suco ou os doces feitos com bacuri custam sempre um pouco mais caros que os demais. Pelo mesmo motivo de quantidade de polpa por fruto, tanto por praticidade, quanto por rendimento, mesmo com bacuris frescos por perto, o mais comum é usar a polpa congelada pra preparar sucos e sobremesas. O fresco acaba ficando pra comer na hora.

O bacuri explode na boca de um jeito único, pois sabor não lhe falta, a acidez é deliciosa, tem doçura aos montes, tem polpa suculenta e ainda é bem perfumado (eu senti até um leve aroma de amêndoa).

Durante a semana que passei no Pará, aproveitei o bacuri pra valer. Tomei vários copos de suco, comi fatias de torta, mousse, sorvete e, voltando de Bragança, ainda comprei na estrada um copo de creme gelado feito só de bacuri, leite condensado e creme de leite que era simples demais e bem gostoso.

Chegando em casa, corri até um dos empórios que vendem produtos da Amazônia em São Paulo, comprei um saquinho de 500 g de polpa integral congelada e fui preparar o meu creme de bacuri.

O creme fica claro, com um tom palha delicado, mal leva 5min pra ser preparado e, com umas 2h de geladeira, está pronto pra ir à mesa (e fica bem na geladeira por uns 3 dias). Na hora de preparar, basta misturar os únicos três ingredientes com um batedor de arame (tem gente que até bate no liquidificador, mas acho que o creme perde a textura e a graça) e colocar numa tigela grande ou já em potinhos.

Durante a temporada que passei na casa da praia, preparei o creme de bacuri duas vezes e o sucesso foi grande, e olha que praticamente ninguém conhecia a fruta e o sabor é bem diferente.

Na hora de servir, ralei um pouquinho de chocolate bem intenso e coloquei por cima (usei uns 50 g de um tablete 70%). Eu gostei da combinação.

Vale experimentar!

Ingredientes

  • 2 xícaras (chá) de polpa de bacuri (500 g)
  • 1 e ½ xícara (chá) de leite condensado (normalmente 1 lata de 395 g)
  • 1 e ¼ de xícara (chá) de creme de leite espesso (normalmente uma lata de 300 g)
  • 50 g de chocolate intenso ralado

Preparo

Numa tigela média, coloque a polpa de bacuri, o leite condensado e o creme de leite e misture até obter um creme homogêneo, mas cheio de textura, pois a polpa do bacuri tem pedacinhos, inclusive uns mais escuros (é assim mesmo).

Transfira o creme pra tigela de servir, ou pra potinhos individuais e leve à geladeira por pelo menos 2h pra firmar (continua perfeito por 3 dias na geladeira).

Na hora de servir, espalhe as raspas de chocolate na superfície.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *