Adicionar à minha lista

Bolo toalha felpuda

Ana Bacellar

Será que aquelas pessoas de nariz meio empinado que olham com desdém pra quem assume que usa leite condensado numa receita de fato resistem a um brigadeiro ou a uma fatia de pudim de leite condensado ou só fazem tipo?

Como eu gosto do que é bom e bem feito, falo feliz que adoro bons brigadeiros, beijinhos, bichos-de-pé, mosaico de gelatina, morango com leite condensado e pudim de leite condensado.

Achei incrível levar brigadeiros de chocolate, de coco e de castanhas variadas pra confeitaria ultra requintada da “La Grande Épicerie de Paris” da loja de departamentos “Le Bon Marche”. É verdade que, antes da minha chegada, o lait concentré sucré não fazia parte da lista de compras da confeitaria, mas a febre brigadeiro foi tão intensa que as latas gigantes da Nestlé invadiram a despensa.

Só que o leite condensado foi mais além, pois um dia, uma confeiteira veio me contar que conhecia o Brasil e que tinha adorado um bolo úmido de nome engraçado, servido gelado e embrulhado no papel alumínio. Falei que era o “toalha felpuda”, um bolo de coco encharcado de calda de coco e com tantos fiapos de coco que se parece mesmo com uma toalha macia.

Choveram pedidos e mesmo com uma pontinha de medo de mostrar mais uma receita tão caseira e doce numa cozinha daquelas, fiz uma assadeira gigante e expliquei que só serviria no outro dia, pois o bolo precisava descansar. No dia seguinte, logo cedo, em menos de dez minutos, os pacotinhos prateados sumiram da geladeira e, além do barulho do papel alumínio, só se escutava “délicieux” e que o bolo passaria a fazer parte dos piqueniques da primavera e do verão.

Achei interessante quando o confeiteiro que fazia uns 2 mil macarons por dia veio me dizer que o bolo era doce, mas que nada além dos seus macarons. Assim, o nosso “toalha felpuda”, cheio de leite condensado, entrou na “La Grande Épicerie” e adoçou Paris.

Pra facilitar ainda mais a receita, deixei de lado o bolo branco com claras em neve e usei a minha receita básica de bolo branco de liquidificador, só trocando o iogurte por leite de coco.

Bolo assado, coloquei em prática as dicas clássicas pra um bom “toalha felpuda”: cortei o bolo ainda bem quente em quadrados, mas mantendo tudo na assadeira, só pra ficar mais fácil de retirar os pedaços depois de encharcados de calda; imediatamente furei todo o bolo com um garfo pra mistura de leite de coco e leite condensado penetrar melhor; reguei o bolo quente com toda a mistura, que parece exagerada, mas não é; deixei descansar na geladeira por umas 2h; retirei cada pedaço de bolo da fôrma, rolei no coco e embrulhei no alumínio; voltei pra geladeira pra repousar por mais pelo menos 3h e até por uns 5 dias na geladeira antes de servir sempre bem gelado.

Quase todo mundo usa coco seco, que é prático e fica bem na geladeira por alguns dias, mas com coco fresco o bolo fica escandalosamente melhor, é só consumir em até 24h pra não correr o risco de azedar.

O bolo, que é receita retrô total, puros anos 1970, vai bem a qualquer hora, do lanche, ao piquenique e à mesa da festa.

Ingredientes

Massa

  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo (120g)
  • 1 xícara (chá) de açúcar (150g)
  • 1 pitada de sal
  • ½ colher (sopa) de fermento químico
  • 1/2 xícara (chá) de leite de coco (120 ml)
  • 2 ovos
  • 1/3 de xícara (chá) de óleo vegetal (80 ml)

Calda e finalização

  • ¾ de xícara (chá) de leite de coco (180 ml)
  • ¾ de xícara (chá) de leite condensado (normalmente meia lata, uns 200 g)
  • 100 g de coco seco ralado fino ou 200 g de coco fresco ralado
  • Manteiga pra untar
  • 15 quadrados de uns 15 cm de papel alumínio

Preparo

Aqueça o forno a 180ºC (médio-alto), unte com manteiga uma assadeira pequena (quadrada de uns 18 cm ou retangular de uns 20x30cm).

Numa tigela, misture com um batedor de arame a farinha, o açúcar, o sal e o fermento, depois junte o leite de coco, os ovos e o óleo e mexa até conseguir uma massa homogênea.

Coloque a massa na assadeira e leve ao forno por uns 35min, até que o bolo esteja crescido, firme e dourado (enfiando um palito no centro, ele deverá sair limpo).

Enquanto isso, pra calda, misture numa tigela o leite de coco e o leite condensado, reserve.

Retire o bolo do forno e, com uma faca, divida em 15 quadrados, mas sem retirar os quadrados da assadeira (é só pra facilitar a vida, pois é mais complicado cortar o bolo já umedecido).

Fure o bolo ainda bem quente com um garfo em toda a superfície pra calda penetrar com facilidade, então regue com a calda, deixe amornar por 5min, cubra com filme plástico e leve à geladeira pra descansar de 2 a 6h.

Ao final do tempo, retire os quadrados de bolo da assadeira, role cada um deles no coco ralado e embrulhe no papel alumínio, deixando sempre o lado brilhante em contato com o alimento.

Leve os pacotinhos à geladeira por pelo menos 3 horas antes de servir e, se quiser, deixe por até 5 dias na geladeira (o bolo só melhora depois das primeiras 24h).

Sirva o bolo bem gelado.

2 Comentários

  1. 1
    • 2

      Oi, Silene! Adorei ler sua mensagem! Adoro receitas que trazem essa memória afetiva para mim e para os meus leitores. Obrigada você por acompanhar o site. Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *