Adicionar à minha lista

Bolo de fubá da minha avó querida

Ana Bacellar

Já dei essa receita nem sei quantas mil vezes e sempre faz sucesso. Não é à toa que está dentre as minhas preferidas, e isso desde criança, pois era o bolo da minha super querida avó Betty.

Ele é amarelíssimo, ultra macio e úmido, ao contrário da maior parte dos bolos de fubá preparados só com fubá. Costumo preparar o bolo com puro fubá, sempre pensando no melhor que posso conseguir no momento. Quando tenho por perto um tanto de fubá artesanal, tanto do moído fininho, o pó mimoso ou canjica, como daquele um pouco mais grosso e saborosíssimo, é ele que escolho. Se não tenho nada artesanal em casa, e isso acontece bastante, compro um fubá cru comum, que também precisa de cozimento como angu. Com os fubás pré-cozidos que hoje aparecem em muitos supermercados, a receita funciona também, mas o tempo no fogo é bem menor, assim que a mistura ferve ela já engrossa e pronto (se continuar cozinhando por mais tempo, como com o fubá comum, a massa vira quase uma bola e as claras em neve não são suficientes pra dar leveza ao bolo, que fica bom gosto bom, mas textura de polenta).

Aliás, grande parte das receitas que prometem bolos úmidos de fubá incluem um pouco de farinha de trigo na massa. O segredo do bolo da minha avó? Cozinhar a massa como se fosse um angu antes de misturar as gemas, o fermento e as claras em neve e depois assar.

Simplesmente de fubá ele já é maravilhoso, mas se quiser, misture 200g de goiabada firme cortada em cubinhos e transforme a receita em “bolo de fubá com goiabada”, que faz um sucesso enorme no Lá da Venda (com bananada ele também fica delicioso). Também costumo alternar camadas de massa com rodelas de banana polvilhadas com canela e açúcar. O bolo é tudo de bom e mais um pouco, ainda mais com uma canequinha de café ao lado!

Apesar do cozimento da massa, o bolo é simples de preparar e assa em, no máximo, 40min, pois a massa já vai cozida pro forno.

Ingredientes

  • 2 xícaras (chá) de fubá (300g)
  • 2 xícaras (chá) de leite (480 ml)
  • 2 xícaras (chá) de açúcar (300g)
  • 1/3 de xícara (chá) de óleo vegetal (80 ml)
  • 50g de manteiga
  • 1 colher (chá) de sal
  • 4 ovos, gemas e claras separadas
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • Manteiga pra untar
  • Fubá pra polvilhar

Preparo

Aqueça o fubá, o leite, o açúcar, o óleo, a manteiga e o sal numa panela média e, sempre mexendo com uma espátula, deixe no fogo por uns 10 minutos, até a massa ferver e engrossar e o fundo da panela aparecer (se usar fubá pré-cozido, o tempo diminui muito, pois ele engrossa assim que a mistura ferve e está pronto). Deixe amornar por uns 10 minutos.

Aqueça o forno a 200ºC (médio-alto). Unte com manteiga e polvilhe com fubá 1 fôrma para grande para pudim, ou 1 uma assadeira grande.

Bata as claras em neve até conseguir picos firmes. Coloque os cubinhos de goiabada numa tigela, polvilhe com fubá e junte à massa. Junte também as gemas, o fermento e, em seguida, com uma espátula e muita delicadeza, incorpore as claras. Se quiser, nesse momento, junte os cubinhos de goiabada ou de bananada. Despeje a massa na fôrma e asse o bolo por uns 40min, até que esteja crescido, bem dourado e firme (ao enfiar um palito no centro, ele deverá sair limpo).

Deixe esfriar e desenforme sobre um prato raso. Se quiser, polvilhe o bolo com um pouquinho de açúcar.

42 Comentários

  1. 1
  2. 2

    Helô que vídeo lindo e que receita.
    Amei vc bordando tudo que gosto,cozinhar e bordar.
    E de fato se a gente está triste fazer um BO alegra.
    Parabéns pelo seu aniversário e qdo te conheci no lá da venda foi muito simpática falou até da filha com nome igual ao meu

  3. 4
  4. 6
  5. 8

    Amei te conhecer,no programa vida melhor e gostaria de uma dica para iniciar as vendas com bolo amo fazer mas não sei como divulgar para vender e estou desempregada a 5 anos me ajuda Helô.

  6. 10
    • 11

      Oi, Francisca! Já fiz sim e dá certo! Na receita do bolo mármore de fubá amarelo e branco, fiz a massa branca com fubá branco, leite de coco e um pouco de coco ralado. Pode fazer a receita normal trocando o leite comum pelo o de coco e fica delicioso!!! bjs

  7. 12
  8. 14
  9. 16

    Você é uma mulher iluminada, obrigada por compartilhar os seus dotes, isso faz você ainda mais próspera e feliz. Amo fazer o bolo de fubá da avó. Te amo.. Beijos

    • 17

      Oi, Elza! Sua mensagem fez o meu dia! Obrigada pelo carinho em suas palavras e por acompanhar o site! Esse bolo é muito especial e adorei saber que ele também é adorado por você! bjs

  10. 18
  11. 20

    Helô, minha fada inspiradora! Acabo de fazer o bolo de fubá da vovó Beti. Já fiz inúmeras vezes, mas o meu eleitorado não vacila: -Mãe, faz aquelo bolinho de fubá?
    Há muitos anos acompanho seu trabalho. Fiz muitas aulas no “Atelier Gourmand” , e senti demais quando fechou as portas para os interessados em aprender a cozinhar….O “cozinhando para amigos” já foi presente pra muuuuita gente. Fora todos os outros! Das mais simples às mais sofisticadas, você vai embalando os candidatos a cozinheiros, inspirando-os e estimulando-os às mais variadas receitas. Não largo seus livros. Nem você. Já cozinhamos juntas muitas e muitas vezes; pena que vc nem percebeu…. estando na Vila Madalena, nunca deixei de dar um pulinho no “lá da venda”, pra tomar um cafezinho com o tal do bolinho de fubá, sempre na esperança de te encontrar, e tomarmos o cafèzinho juntas.

    • 21

      Jeannette querida, boa tarde! Você não imagina como a sua mensagem me deixou feliz, emocionada de verdade. Fiquei com vontade de correr pra cozinha e fazer um bolo lindo pensando em você. Lindo demais saber que tudo o que faço tem tanto valor pra vida de pessoas tão doces como você. Passando esse momento trágico, vamos combinar um café na minha cozinha, que tal?
      Beijo, com carinho, Helô

  12. 22

    Olá, Helô!
    É um enorme prazer me comunicar com você. Venho acompanhando seu trabalho há muitos anos. Tenho todos os seus livros, já nem sei mais quantas vezes presenteei a amigos com o “cozinhando para amigos”, fora todos os outros, companheiros inseparáveis.
    O bolinho fe fubá da vovó Bety já virou um classico aqui na nossa nossa casa., assim como já é um costume ir à vila Madalena, e comer o bolinho lá, com um cafèzinho. Tomara um dia eu possa tomar um café com você, no lá da venda. E vc será minha convidada.
    Beijos…

    • 23

      Me desculpe, Helô, sou uma péssima internáutica. Achei que vc não havia lido minha primeira mensagem, e escrevi pra você novamente, quase que com o mesmo conteúdo! Me desculpe.. mas endosso tudo o que escrevi , das duas cxs. Que vergonha!! Espero pider redimir-me dessa situação oferecendo a você uma fatia de bolinho de fubá. Combinado?
      Bizoux… jeanne.

      • 24

        Jeanette, imagine me pedir desculpas por isso!! A sua mensagem é tão gostosa e reconfortante que já li e reli algumas vezes. Assim que esse caos passar, combinaremos o bolo. Beijos e obrigada, Heloisa

    • 25
  13. 26

    Helo, querida,
    Moro na Suíça e fazia tempo que estava querendo comer um bolinho de fubá com café para acalmar a alma neste momento tão difícil que estamos vivendo. Como não encontro fubá aqui, resolvi experimentar fazer com polenta. Fico uma delícia! Achei que você ia gostar de saber.
    Um beijo grande da Basileia.
    Monica

    • 27

      Monica, boa tarde!
      O momento é tenso e um bolinho com café acalma mesmo a alma.
      Bom saber que deu certo. Uma vez, precisava fazer um bolo de fubá em Paris e fiz com uma farinha de milho flocada que encontrei num mercado brasileiro, esfarelei e funcionou.
      É preciso ousar, testar e querer acertar. Gostei!
      Um beijo, Helô e Ana

  14. 28

    Oi boa noite Helô!

    Fiz tudo certinho, tudo medido na balança. Mas minha massa ficou grossa, não ficou tão líquida (tipo massa de bolo normal). Será que é o tipo do fubá?

    • 29

      Pietro, boa noite!
      Eu adoro um bolo de fubá gostoso pra tomar com café e vivo atrás de receitas gostosas e diferentes. Até hoje, só consegui bolos fofos e macios quando usei mistura de fubá e farinha de trigo ou quando fiz o bolo com massa cozida, como o da receita que você experimentou. Bolos só com fubá, mas preparados como os comuns de trigo, costumam se esfarelar com facilidade e fica mais secos, e se levam fubá e trigo acabam com menos gosto de fubá … A escolha é complicada … Por isso, gosto do bolo feito a partir do angu, ele é puro fubá e fica macio. A massa é mais encorpada, mais grossa, mas fica úmida e, com as claras em neve, ele fica macio. É diferente, você tem razão, mas é bom.
      Os fubás também são diferentes, há os muito finos e os mais grossos, uns feitos em moinhos artesanais, outros industrializados e não tão puros. No dia a dia, uso um fubá artesanal do interior de São Paulo, mas dá pra preparar com o fubá que encontrar.
      Vá experimentando e depois conte como estão ficando os seus bolos!
      Um abraço, Helô

    • 30
  15. 31

    Oi helô! Eu estava super empolgada em aprender um bolo de fubá, Fiz está receita mas infelizmente não deu muito certo, a massa ficou pesada, fiquei achando que eu havia cozinhado demais o fubá… fiquei sem entender pq na receita mencionava 10min de cozimento, e eu tinha ficado menos que esse tempo indicado… Foi então que pensei que o problema pudesse estar no fubá , usei o pre-cozido da yoki, depois eu percebi que existe fubá sem ser pre-cozido! O seu é qual deles?

    • 32

      Kelma, bom dia!
      Pena saber que não deu certo. Esses fubás pré-cozidos que surgiram recentemente são mesmo diferentes, engrossam num piscar de olhos, o processo encurta pra mal 5 minutos. Com fubá “cru”, tanto industrializado, com artesanal, é preciso cozinhar mesmo, como angu, e aqui a gente usa fubá cru.
      Acho uma ideia boa retestar com o pré-cozido e incluir a informação no texto. Com menos tempo ele com certeza ficará bom também.
      Se você gosta de bolo de fubá, acho que seria gostoso tentar outra vez, pois o bolo é bom demais e fica macio, mas sempre diferente de um bolo de trigo.
      Conte sempre pra gente! Abraços, Ana e Helô
      Experimente a

      • 33

        Oi Kelma, de novo! Dica incluída no texto antes da receita. Obrigada por contar pra gente, só assim o site vai ficando mais e mais completo! Abraços, Ana e Helô

  16. 34

    Que receita maravilhosa! Descobri você através da série “História da alimentação brasileira”. Vim atrás da receita e encontrei mais do teu trabalho! Que alegria de vida é encontrar beleza num trabalho tão lindo! Obrigado!

    • 35

      Murilo, bom dia!
      Você não imagina a alegria que a sua mensagem trouxe para a minha vida numa segunda-feira triste de pandemia… Não há reconhecimento mais gratificante para quem, como eu, faz tudo com tanto amor, carinho e dedicação.
      Será delicioso ter você seguindo o “Na Cozinha da Helô”.
      Abraços e obrigada, Helô

  17. 36
    • 37

      Gilda, boa tarde!
      Que notícia boa … Pra gente, que faz tudo com muito carinho e uma dedicação imensa, mensagens como a sua são pra lá de especiais.
      Conte sempre com a gente e dê notícias!
      Abraços, Ana e Helô

  18. 38

    Achei sua receita através da “História da alimentação brasileira”. Achei curioso o fato de cozinhar o fubá como uma polenta, resolvi procurar e acabei aqui. Quando fui replicar a receita, creio que passei um pouco na consistência do fubá e ficou um pouco mais grosso do que aparece no vídeo. Pensei : – “Nossa, não vai dar certo”… Mas deu! Que bolo maravilhoso!
    Tenho 33 anos e perdi minha avó com 6. Era uma mulher incrível, mãe de 8 filhos que tinha a casa sempre cheia e era a cozinheira mais fantástica. Não me lembro de muitas coisas, mas tenho lembranças muito específicas de cheiros como o de café, da refoga, do sabor do molho de tomate, da carne de panela que eram impossíveis de copiar e olha que muita gente tentou. Esse bolo, lembrou o bolo da minha avó, um desses sabores impossíveis, que era a receita que ela sempre fazia com café no fim da tarde. Obrigada por essa lembrança. Emocionante! Bjo Helô!

    • 39

      Laís, boa noite!
      Que mensagem mais linda, emocionante mesmo.
      Cozinhar é alimentar o corpo e a alma. Em cada caixinha de lembrança que a gente tem na memória, ficam guardados pra sempre os sabores, os aromas e as sensações que relacionam comidas, pessoas queridas e seus momentos. E as comidas ficam marcadas de um jeito tão intenso que basta sentir, por exemplo, o cheio do café ou da carne de panela no fogo, que as lembranças aparecem.
      Tudo isso é tão forte que fica difícil conseguir dizer que o bolo de hoje é igual ou chega perto daquele da memória. É bom demais quando isso acontece, pois parece que a gente se aproxima da pessoa da história.
      proximidade entre as pessoas envolvidas fica
      As receitas do “Na cozinha da Helô” são sempre vivas, cheias de histórias, dicas, técnicas, muito explicadas, com fotos lindas e que, de olhas, a gente tem vontade de cozinhar e de comer. Tudo aqui é feito com muito carinho e muita dedicação, mãe e filha trabalhando juntas.
      Bom saber que você descobriu o “Na cozinha da Helô”.
      Abraços, Ana e Helô

  19. 40
    • 41

      Maria Luiza, bom dia!
      Fica maravilhoso, acrescente 2 colheres (chá) para experimentar e, numa próxima vez, você aumenta para 1 colher (sopa) ou diminui para 1 colher (chá) conforme o gosto da sua casa. Depois conte como ficou.
      Abraços, Ana e Helô

  20. 42

    Querida Helô,
    Voltei no tempo pra casa de minha amada e saudosa avó Maria fazendo esse bolo com os pedacinhos de goiabada. Já tinha testado algumas receitas mas nenhuma chegava perto. Até agora. Acho que culinaria é sobre prazer, amor, lembranças… e você mostra isso muito bem. Obrigada por compartilhar generosamente receitas maravilhosas! Sou de Salvador mas espero em breve ir no La da Venda conhecer e provar ao vivo suas delicias!
    Um abraço carinhoso e agradecido,
    Cristina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *