Adicionar à minha lista

Bolinho junino de carne

Ana Bacellar

Eu me lembro, como se fosse hoje, da mudança pra Caçapava em junho de 1969 e da festa junina que aconteceu uns três dias depois. O meu pai comprou um saquinho, como os de pipoca, cheio de mini bolinhos, eu comi tudo achando o máximo e na festa junina do sábado seguinte tudo se repetiu. Pra minha tristeza, os bolinhos desapareceram quando junho terminou e alguém me explicou que eles só eram preparados e vendidos nas quermesses. Não via sentido nisso, pois todo mundo falava dos bolinhos com água na boca, mas sei que isso acontece até hoje.

Tanto isso é real que quando decidi servir o tal bolinho caipira no festival “Fartura”, vendi centenas aos visitantes do Vale do Paraíba, que repetiam a mesma coisa: adoravam e sonhavam com as festas juninas só pra comer os bolinhos. Apesar de, na região, ele ser o “bolinho caipira de carne”, pra mim, ele sempre foi e sempre será o bolinho junino de carne, o melhor de todos.

De olhar, ele se parece com uma almôndega, mas a grande diferença está no miolo puxa-puxa por dentro, pois a carne moída fica no meio do pirão de farinha de mandioca. É um petisco irresistível, que fica ainda melhor com umas gotas de molho picante de pimenta.

A receita é simplérrima, só aquecer a carne moída pronta e bem temperada com cebola, um pouco de molho de tomate, salsinha e cebolinha com caldo de carne ou água, deixar ferver, juntar a farinha de mandioca aos poucos, mexer sem parar até cozinhar totalmente a farinha e conseguir um pirão bem firme, depois enrolar as bolinhas e, sem precisar empanar, fritar no óleo quente até conseguir bolinhos dourados e com uma casquinha crocante. Fritos eles ficam mais crocantes, mas também dá pra assar os bolinhos numa assadeira untada por uns 30min no forno a 180ºC (médio-alto). Quanto menores, mais cascudinhos e lindos, mas o tamanho depende da paciência e do tempo que se tem pra modelar.

Sirvo os bolinhos juninos no “Lá da Venda” e quem prova acaba se apaixonando e voltando pra comer mais.

Ingredientes

  • 2 colheres (sopa) de óleo (30 ml)
  • 1 cebola grande em cubinhos (180g)
  • 500g de carne moída (costumo usar patinho, ou coxão mole, ou acém)
  • 1 folha de louro
  • 2 colheres (sopa) de molho pronto de tomate (40 ml)
  • 4 xícaras (chá) de caldo de carne (ou 1 tablete de caldo de carne dissolvido na mesma quantidade de água)
  • 2 xícaras (chá) de farinha de mandioca fina (200g)
  • 3 colheres (sopa) de salsinha picada (3 ramos)
  • 900 ml de óleo vegetal pra fritar e um pouco pra untar a assadeira
  • Sal
  • Molho de pimenta-vermelha pra servir

Preparo

Numa panela média, aqueça as 2 colheres de óleo e doure ligeiramente a cebola. Junte a carne e misture até separar os grumos e começar a dourar. Adicione o louro, o molho de tomate e sal, abaixe o fogo e cozinhe por uns 15min, até a carne amaciar e começar a dourar. Junte o caldo, espere ferver e, aos poucos e sem parar de mexer pra não empelotar, acrescente a farinha de mandioca e a salsinha. Mantenha no fogo até o pirão encorpar bem, formando uma bola que se soltará da panela.

Ajuste o sal, espalhe a massa numa assadeira, cubra e deixe repousar na geladeira por umas 3h ou até por 24h pra firmar.

Pegue porções de massa com uma colher de chá, molde bolinhas miúdas, ou maiores, como as de pingue-pongue. Se quiser, prepare os bolinhos na véspera, acomode todos eles numa assadeira, cubra com filme plástico e guarde na geladeira.

Pouco antes de servir, aqueça o óleo numa frigideira grande e frite os bolinhos até ficarem bem douradas e crocantes. Escorra sobre papel absorvente e sirva com molho de pimenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *