Adicionar à minha lista

Bife enrolado delicioso

Bife enrolado é pura comida caseira, cheia de sabor, de aroma e de carinho. Na Itália é a brasciola, servida com gnocchi, massas e polenta, e aqui é o bife enrolado ou rolê, que vai bem com arroz branco e purê de batata ou de mandioquinha.

Acho que poucos pratos são tão perfeitos pra um almoço de domingo super familiar, pois, além de prático, agrada a todos, dos bem novinhos aos mais velhos. Eu, na verdade, só em pensar na carne se desmanchando com o leve toque do garfo e no molho delicioso, já fico com vontade de ir pra cozinha e preparar uma panela com muitos bifes.

Digo muitos bifes porque o trabalho de preparar 12, 24 ou 36 bifes é parecido e sempre compensa fazer bastante pra sobrar e comer em até três dias ou congelar pra um momento de preguiça ou de falta de tempo. Quando posso, faço na véspera, deixo descansar na geladeira, pois acho que o sabor melhora com o repouso e aqueço na hora da refeição.

Só que há bifes e bifes enrolados, desde aqueles feitos bem de qualquer jeito e sem encantos, aos caprichados.

Para conseguir um bem gostoso, o primeiro passo é escolher bem a carne. O melhor filé-mignon do açougue nunca dará um bom bife enrolado, pois não é um corte adequado a cozimentos longos, será sempre sem graça em sabor e em textura. O bife também precisa ser muito limpo de nervos e gorduras, pois é péssimo ter que ficar quase que ciscando no prato pra separar a carne do restante, ainda mais numa receita que, de tão macia, dispensa até a faca.

Na minha opinião, carnes envolvidas em molhos devem estar sempre limpas, pra gente comer de olhos fechados. Em casa, gosto de usar miolo de alcatra, patinho, coxão mole ou coxão duro, cortes que ficam macios, com muito sabor e suculentos.

Escolhendo um bom açougue, dá pra adiantar a vida e pedir o corte já limpo e em bifes de aproximadamente 0,5 cm de espessura, mas cortar os bifes em casa é tarefa simples. Costumo verificar se a carne está realmente limpa e descarto o necessário, depois, sempre no sentido contrário às fibras, divido o corte em bifes de 0,5 cm.

Aí vem a hora da montagem dos bifes. Começo colocando um sobre a tábua, cobrindo com um plástico alimentício ou um pedaço de papel manteiga e batendo com um martelo ou batedor pra carne até conseguir bifes finos e uniformes.

Em seguida, salpico cada um com sal e pimenta, coloco no centro um pedaço de cenoura e um de pimentão, um ramo de salsinha, polvilho com parmesão e finalizo com uma fatia fina de bacon ou de pancetta, enrolo e prendo o rolinho com 1 ou 2 palitos.

Depois, douro os bifes num fio de óleo e passo pra um prato. Na mesma panela, refogo um pouco de cebola e alho, junto o vinho (prefiro usar branco, mas já fiz várias vezes com tinto não muito encorpado e fica ótimo), deixo ferver, acrescento a polpa de tomate, volto com os bifes pra panela e cozinho em fogo baixo por umas 2h, até a carne ficar bem macia, quase que se desmanchando, e o molho encorpar e ficar bem saboroso.

Quanto aos tomates, dá pra usar polpa de tomate, tomate pelato grosseiramente picado, tomates frescos sem pele e sem sementes em cubos ou um bom molho já pronto, caseiro de preferência.

Ingredientes

  • 12 bifes de 80 g cada (aproximadamente 1 kg de de miolo de alcatra, coxão mole, coxão duro ou patinho)
  • 12 fatias finas de bacon ou de pancetta
  • 1 cenoura pequena e sem casca cortada em 12 tirinhas de uns 8 cm
  • 1 pimentão verde pequeno cortado em 12 tirinhas de uns 8 cm (130 g)
  • 12 ramos de salsinha
  • ½ xícara (chá) de queijo parmesão ralado (50 g)
  • 1 cebola grande em cubinhos (180 g)
  • 2 dentes de alho picadinhos
  • ½ xícara (chá) de vinho branco (120 ml)
  • 800 g de polpa de tomate ou de tomates frescos em cubinhos
  • 1 folha de louro
  • 1 xícara (chá) de água (aproximadamente 240 ml)
  • 2 ramos de salsinha
  • 1 ramo de manjericão
  • ½ colher (chá) de pimenta calabresa seca
  • Azeite de oliva
  • Sal
  • Pimenta-do-reino
  • 24 palitos

Preparo

Um a um, coloque os bifes sobre uma tábua, cubra com um plástico ou com papel manteiga e bata com um martelo ou batedor de carne até ficarem bem fininhos e uniformes.

No centro de cada bife, coloque 1 tira bacon, 1 de cenoura e 1 de pimentão, 1 ramo de salsinha, polvilhe com sal, pimenta e com uma parte do parmesão e enrole pressionando bem.

Prenda cada rolinho com 2 palitos e reserve.

Aqueça um fio de azeite numa panela média, junte os bifes e deixe dourar bem de todos os lados, então transfira pra um prato.

Na mesma panela, coloque mais um fio de azeite e nele doure ligeiramente a cebola. Junte o alho, espere perfumar e acrescente o vinho. Deixe ferver por 1 min, adicione a polpa de tomate, o louro, a água, os ramos de salsinha e de manjericão, a pimenta calabresa seca, sal e volte com os bifes pra panela.

Quando ferver, diminua o fogo e cozinhe com a panela tampada por umas 2h, até que a carne esteja realmente muito macia (espete com um garfo pra testar) e o molho bem encorpado e saboroso.

Ajuste o sal e a pimenta do molho, descarte o louro e as ervas murchas e, se necessário, corrija a acidez com um pouquinho de açúcar.

Sirva os bifes bem quentes com o molho acompanhando massas, polenta, arroz ou purês de batata ou de mandioquinha.

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *