Adicionar à minha lista

Arroz com gosto do Pará – Tucupi, jambu e chicória

Feito com:
Ana Bacellar

Casa paraense sempre tem tucupi, jambu e chicória-do-Pará e o trio de ingredientes costuma fazer parte de receitas de dia a dia e de festa. Aliás, eu levei um susto quando vi várias marcas de tucupi, já com ares de produtos industrializados, em gôndolas refrigeradas dos supermercados, pois, pra mim, tucupi era um produto mais rústico e pra comprar só em feiras e mercados. Esses industrializados não devem ser tão bons quanto os artesanais, mas o fato é que não há supermercado que não tenha muito tucupi.

Como o arroz faz parte da vida de quase todo brasileiro, o paraense vive acrescentando os cheiros e temperos regionais à receita e, assim, arroz com jambu é hoje um prato bem usual.

Há algumas décadas, quando ainda não se falava em tucupi, jambu e chicória-do-Pará e, quanto mais, em usar esses ingredientes de forma mais criativa, Paulo Martins preparou e mostrou, tanto no próprio Pará, como pelo Brasil e também fora daqui, arroz de pato, só que com tucupi, arroz com jambu e por aí seguiu. O fato é que esses pratos passaram a fazer parte dos cardápios de vários restaurantes e, principalmente no Pará, já se tornaram “clássicos”.

Versões de arroz paraense não faltam, mas fiquei com uma bem simples, com preparo bem semelhante ao do arroz branco de todo dia, só mesmo mexendo no tempero e no líquido do cozimento do arroz.

Dourei cebola e alho na manteiga, juntei o arroz, deixei dar aquela fritadinha pra deixar os grãos soltos, juntei o líquido (metade tucupi, metade água) e sal. Quando o arroz já estava quase cozido, só com um tico de líquido, misturei o jambu e a chicória-do-Pará grosseiramente picados. Arroz pronto foi pra tigela e pra mesa, só isso.

Gosto do prato porque a delicadeza do arroz vai muito bem com a acidez e o sabor do tucupi, com sensação instigante do jambu e o perfume da chicória-do-Pará. Ele, de verdade, surpreende e acompanha carnes vermelha, aves e peixes e crustáceos grelhados, assados ou fritos, legumes e, é claro, uma boa farofa (se a farinha de mandioca for de Bragança, melhor ainda).

Se quiser, junte pimenta-de-cheiro do Pará, ou a que gostar e tiver por perto.

Pra deixar a receita vegana e sem lactose, basta deixar de lado a manteiga e usar óleo vegetal ou azeite de oliva.

Ingredientes

  • 25 g de manteiga
  • 1 cebola média em cubinhos (150 g)
  • 1 dente de alho picadinho
  • 1 xícara (chá) de arroz branco (120 g)
  • 1 xícara (chá) de tucupi (240 ml)
  • 1 xícara (chá) de água (240 ml, aproximadamente)
  • ¼ de xícara (chá) de folhas de jambu já aferventadas e grosseiramente picadas
  • 1 colhere (sopa) de chicória-do-Pará picada (ou coentro picado)
  • Sal

Preparo

Numa panela média, aqueça um fio de óleo e doure ligeiramente a cebola.

Junte o alho, espere perfumar e acrescente o arroz. Mexa até que os grãos estejam brilhantes e soltinhos, com um leve perfume de pipoca.

Junte o tucupi, a água, e um pouco de sal (experimente a água, se estiver salgadinha, o sal estará no ponto certo, ou coloque um pouco mais se for preciso).

Cozinhe o arroz com a panela semitampada por uns 10min, até que os grãos estejam quase cozidos.

Junte o jambu e a chicória-do-Pará e mantenha no fogo por mais uns minutos, até que os grãos estejam cozidos, mas ainda firmes e soltinhos (se o arroz ainda estiver duro, pingue mais um pouquinho de água e deixe no fogo por mais uns minutos).

Desligue o fogo, tampe a panela e espere 5min, então afofe os grãos com um garfo pra manter os grãos soltos (não use colher, que esmaga os grãos).

Sirva em seguida.

1 Commentário

  1. 1

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *