Adicionar à minha lista

Arroz chinês delicioso

arroz chinês delicioso

Você já comeu um arroz chinês delicioso? Aqui vai mais uma receita que não é bem uma receita, mas sim método simples de fazer um prato delicioso usando arroz. É tudo muito fácil e é prático, basta entender o processo e respeitar as características e as proporções dos ingredientes no prato. Pra completar, a receita é bem flexível, dá pra ajustar tudo ao que se gosta e ao se tem na geladeira e na despensa. Tenho certeza de que o prato vai causar aquele “uau”, de que não vai sobrar um grão de arroz na tigela e vai virar um “clássico” na sua casa.

A base da receita é o arroz branco de todo dia saboroso e soltinho que faz parte da vida de quase toda casa brasileira. Mas tem um pulo do gato: o arroz branco de todo dia não pode ser usado fresquinho e saindo da panela, pois a receita do arroz chinês precisa de “arroz de ontem”, daquele que passou pelo menos umas 6 horas, ou até dormiu na geladeira. Os grãos têm que estar firmes e gelados, até formando grumos que se desmancham só com uma pressionada leve com um garfo.

Só gelados e soltinhos os grãos de arroz conseguem se manter firmes e inteiros depois de mexidos e remexidos na frigideira com os temperos, os legumes e o molhinho. Se os grãos estiverem ainda frescos e macios, o vapor que surge na panela acaba amolecendo tudo e o prato se transforma em algo mais molhado e pastoso, como um virado, e fica bem diferente do que se espera de um arroz “frito” chinês.

É tanta explicação que pode até parecer difícil, mas não é, pelo contrário. E é por isso que, quando me pedem em casa pra preparar a receita, eu digo “claro que faço, mas só pra amanhã”. Providencio rapidinho uma receita de arroz branco de todo dia, que leva 1 xícara arroz cru e rende as 3 xícaras de arroz pronto necessárias pro arroz chinês, depois coloco na geladeira e já garanto uma das refeições do outro dia. Em casa, pra nós quatro, basta servir uma receita do arroz chinês com uma salada de folhas, mas se eu sinto a presença de apetites vorazes por perto também sirvo uma travessa com brócolis salteados ou com algum grelhado.

A escolha da frigideira, ou da panela, é fundamental pro sucesso da receita. As frigideiras largas, espaçosas, de bordas altas, anti-aderentes e que a gente hoje encontra com facilidade por aí são perfeitas e valem cada centavo investido. Elas são inspiradas nas woks asiáticas, de metal que transmite o calor de forma intensa, mas as originais são mais chatas de cuidar, enferrujam, mais fácil ficar com as modernas. Se não tiver uma frigideira espaçosa e grande o bastante pra acomodar as 3 xícaras de arroz com os temperos e legumes escolhidos, use uma panela grande em fogo bem alto e misture bem pra evitar umidade (o resultado será um pouco diferente, mas gostoso).

Na frigideira, tudo acontece em menos de 15 minutos, a escolha e o preparo dos outros ingredientes é que levam um pouco de tempo a mais. É essencial cortar vagem, ervilha torta, cenoura em pedaços miúdos e separar brócolis e couve-couve flor em floretes pequenos, tudo pra que eles tenham tempo de cozinhar sem amolecer demais. Ervilha e milho frescos também precisam cozinhar, mas se forem congelados ou em conserva é tudo rapidíssimo. Cogumelos são perfeitos pra receita ficar mais saborosa e uso o bom senso: separo shimeji separado em talinhos pequenos e os demais eu fatio.

Muitos restaurantes chineses juntam presunto picado miudinho ou lascas de frango cozido (sobras são perfeitas) ao arroz. Pra deixar a receita mais substanciosa, como um prato único, eu gosto de usar peito de frango ou mignon suíno, que ficam prontos num estalar de dedos. Com pelo menos umas 3 horas de antecedência, eu corto tudo em fatias bem finas e depois em tirinhas, tempero e levo à geladeira pra marinar (dá pra deixar na geladeira por até 8 horas, depois disso o tempero fica forte demais). Se quiser deixar as carnes de lado, substitua por legumes.

Óleo vegetal comum e manteiga são fundamentais pra dar sabor e deixar o prato com a textura correta e a manteiga faz a diferença. Pra temperar, além da cebola, do alho e do gengibre, shoyu – o molho de soja que todo mundo conhece – e molho de ostra, que parece estranho, mas dá sabor perfeito à receita e também encorpa o molho, pois tem consistência de ketchup (é fácil de achar em supermercados e lojas online de produtos orientais).

Além desses básicos, o ovo é um dos outros essenciais. Começo sempre por ele, fazendo o ovo mexido na mesma frigideira, pois a receita é de uma panela só. Basta aquecer um fio de óleo com manteiga, juntar o ovo, esperar firmar, mas num ponto bem úmido e macio e passar pra um prato, pois ele entrará na receita no final.

Então, só regar a frigideira com um fio mais generoso de óleo e de manteiga e sem diminuir o fogo, que precisar ficar forte durante toda a preparação, acrescentar a cebola, o alho, o gengibre e o pimentão com uma pitada de sal. Assim que eles começam a murchar, mas sem juntar líquido, eu acrescento o frango, ou mignon suíno ou bovino com todo o caldinho e deixo dourar bem de todos os lados, misturando sempre pra não juntar líquido e fritar.

Em seguida, misturo os outros vegetais escolhidos, como cogumelos, cenoura ou milho, ervilha, vagem, espero murchar e cozinhar só o necessário (cozidos, mas firmes), coloco o arroz na panela com mais shoyu e molho de ostra, misturo rápido pra aquecer e dar uma leve fritada (pois o fogo continuará alto), finalizo com cebolinha picada (ou salsinha ou coentro), rego com um fio de óleo de gergelim, que é delicioso e dá ao prato um toque mágico. Quando tenho em casa, gosto de terminar a receita com um pouco de gergelim torrado, mais ou menos 1 colher (sopa).

Calculei o tempo já considerando o arroz branco pronto de véspera. Vamos para os ingredientes e preparo?

arroz chinês delicioso

Ingredientes

  • 3 xícaras (chá) de sobras de arroz branco cozido, soltinho e bem gelado (prepare uma receita de arroz branco de todo dia com antecedência, que leva 1 xícara de grãos e rende a quantidade necessária)
  • 1 colher (sopa) de suco de limão
  • 4 colheres (sopa) de shoyu
  • 2 colheres (sopa) de molho de ostra
  • 1 dente de alho grande ralado
  • 1 colher (sopa) de gengibre ralado
  • 300 g de peito de frango limpíssimo em tirinhas finas
  • 25 g de manteiga
  • 2 ovos ligeiramente batidos
  • 1 cebola pequena em fatias finas (120 g)
  • 1 cenoura média ralada (150 g, aproximadamente)
  • ½ xícara (chá) de pimentão vermelho em cubinhos (100 g, normalmente 1/3 de um pimentão)
  • 2 xícaras (chá) de legumes a gosto (milho verde em conserva, congelado ou fresco já aferventado; ervilha fresca aferventada ou congelada; vagem ou ervilha torta picadinhas; floretes miúdos de brócolis ou couve-flor já aferventados)
  • 200 g de cogumelos em fatias finas (branco, portobelo, shiitake ou shimeji em ramos finos)
  • 1 colher (sopa) de óleo de gergelim (um fio generoso)
  • 3 colheres (sopa) de cebolinha em rodelinhas finas (uns 2 fios grandes)
  • Opcional – 1 colher (sopa) de gergelim torrado (claro ou escuro)
  • Óleo vegetal
  • sal

Preparo

Com pelo menos 3 horas de antecedência (ou até com umas 8 horas), misture numa tigelinha o limão, o shoyu, o molho de ostra, o alho e o gengibre até conseguir uma pasta homogênea. Passe metade da misture pra uma tigela e misture o frango e leve à geladeira pra marinar. Leve também pra geladeira a outra metade da pasta de shoyu.

Uns 45 minutos antes de servir, separe todos os outros ingredientes (o arroz, ovos, os legumes etc…), pois com tudo preparado a receita é vapt-vupt.

Aqueça um fio de óleo numa frigideira grande e larga (de preferência tipo wok – veja as dicas no texto que vem antes da receita). Junte os ovos e um pouquinho de sal, mexa com uma espátula até fimar como ovo mexido macio e passe pra um prato, reserve.

Na mesma frigideira, aqueça bem metade da manteiga e um fio de óleo, então junte o frango com o seu tempero e, com o fogo bem alto, misture e deixe dourar de todos os lados (tudo rápido, no máximo por uns 5 minutos). Passe pra um outro prato e reserve.

Coloque a manteiga restante e mais umas 2 colheres (sopa) de óleo na mesma frigideira e aqueça. Quando derreter, coloque na frigideira a cebola, a cenoura, o pimentão, umas duas pitadas de sal e misture por mais ou menos 1 minuto. Assim que tudo murchar e perfumar, acrescente os outros legumes e os cogumelos, umas 3 pitadas de sal e misture pra conseguir que eles murchem e cozinhem rápido, por no máximo uns 5 minutos, sem juntar muito líquido.

Volte com o frango pra frigideira, junte de shoyu restante e o arroz e mexa bem.

Assim que o arroz aquecer, retire a frigideira do fogo, misture o óleo de gergelim, ajuste o sal (se quiser, acrescente mais shoyu), misture a cebolinha, o ovo mexido e passe pra travessa que irá à mesa. Sirva em seguida, se quiser acompanhado de uma salada verde.

2 Comentários

  1. 1

    Helô! Tenho seus livros “Cozinhando para os amigos“ e Entre panelas e Tigelas” e sempre que posso adoro sentar, buscar uma receita e me perder en suas histórias.
    Fiquei tão feliz de te encontrar aqui nesta sua cozinha! Obrigada por tanta generosidade em forma de receitas publicadas neste site.
    Entrei no site para ver sua receita de lasanha, mas esta receita de arroz chinês está querendo me fazer mudar o cardápio do almoço de amanhã.

    • 2

      Desirée, boa tarde!
      Sua mensagem deixou o meu dia mais feliz! Bom saber que os meus livros, as minhas histórias e as receitas deixam a sua mesa e a sua vida mais gostosas. A dedicação e o carinho envolvidos em tudo o que faço são tão grandes que reconhecimentos como o seu valem demais.
      Depois conte pra gente como o arroz chinês ficou.
      Abraços, Ana e Helô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *